João Pessoa 19/06/2018 01:20Hs

Início » Esporte » Na festa de Felipão, Grêmio finda jejum e entra no G-4 goleando Inter

Na festa de Felipão, Grêmio finda jejum e entra no G-4 goleando Inter

festa de felipãoNo dia do aniversário de Luiz Felipe Scolari, o presente gremista chegou com sobras. No estádio do Tricolor, os anfitriões venceram o Inter por 4 a 1, encerrando um jejum de nove jogos sem derrotar o arquirrival, e ainda roubou o lugar que era dos colorados na zona de classificação para a Libertadores no Campeonato Brasileiro.

Quem personificou a tensão do jogo foi Alan Ruiz. O argentino saiu do banco e, em 12 minutos, fez dois gols e despertou confusão e troca de agressões generalizadas ao comemorar o último deles na frente do banco do Inter. Foi substituído e recebeu os agradecimentos de Felipão.

O mesmo ouviu Luan, que abriu o placar aos 27 do primeiro tempo e deu a assistência para Ramiro ampliar, aos três do segundo tempo. Rafael Moura saiu do banco para diminuir, aos 15, mas Alan Ruiz entrou para definir o placar e elevar a temperatura do clássico com gols aos 30 e aos 36.

Com os três pontos somados nesta tarde, o Grêmio chegou a 57, assumindo a terceira posição por ter saldo de gols superior ao Atlético-MG, mostrando a importância da goleada deste domingo. Volta a jogar às 19h30 (de Brasília) de sábado, visitando o Criciúma. O Inter, agora em quinto, com 56 pontos, vai ao Morumbi enfrentar o São Paulo às 22 horas de quarta-feira.

Arte GE.Net

O jogo – Na formação tática, Luiz Felipe Scolari foi mais ousado. Apesar de escalar três volantes, abriu Dudu e Luan nas pontas e tinha um do trio sempre se aproximando de Barcos. Do outro lado, Abel Braga optou por três meias com pouca velocidade para se aproximar de Nilmar.

A postura tática se confirmou com o espírito do Grêmio, que, com 20 segundos, pressionou a saída de bola do rival e já fez Dudu, mesmo impedido, obrigar Alisson a fazer boa defesa. Por dez minutos, os visitantes colorados não conseguiram passar do meio-campo e se limitaram a bloquear sua grande área para dificultar as chegadas de Fellipe Bastos e Ramiro, volantes que rapidamente se descolavam do campo de defesa.

A alternativa do Inter foi recuar D’Alessandro e Alex para iniciar a saída de bola e a entregar para Alan Patrick, meia mais próximo de Nilmar. A estratégia serviu para desafogar a defesa, mas era uma estratégia que centralizava as jogadas de ataque, facilitando a marcação gremista e ainda abrindo espaço para troca de passes.

A aplicação tática dos comandados de Abel Braga só seria desfeita em jogada individual, que aconteceu para consagrar um gremista que incomodava os torcedores. Aos 27 minutos, Dudu arrancou pela direita, tabelou com Barcos, driblou Aránguiz na linha de fundo e rolou na entrada da pequena área para Luan se redimir dos passes errados no meio-campo, se jogando para colocar a bola nas redes coloradas.

Após sofrer o gol, o Inter, enfim, resolveu procurar Nilmar, e o atacante, aos 30, gerou o primeiro cartão amarelo do clássico ao sofrer carrinho de Geromel. Na cobrança da falta, a bola sobrou para o dono da camisa 7 colorada arriscar de primeira uma bicicleta que passou rente ao travessão.

A jogada acordou o Inter, mas não o suficiente para seu time acertar passes. O Grêmio seguia atuando no campo adversário. O Colorado, porém, foi forçando as jogadas e, nos minutos finais do primeiro tempo, assustou em finalizações de Alex e Alan Patrick e em cabeçada de Alan Costa. Os ajustes, no entanto, não foram capazes para mudar o placar antes do intervalo.

Quem mexeu no marcador, de novo, foi o Tricolor, mais uma vez com sucesso da aposta de Felipão na dinâmica de seus volantes e na correria de seus pontas. Logo aos três minutos, Dudu tocou para Luan, que lançou com precisão para Ramiro entrar na grande área e só deslocar Alisson para ampliar.

O Inter continuou sem saber como reagir e Abel Braga decidiu, enfim, dar um companheiro a Nilmar. Aos 13 minutos, trocou Alan Patrick por Rafael Moura e o atacante, com dois minutos em campo, foi abrindo espaço da lateral até a intermediária, arriscando chute que acertou o ângulo esquerdo de Marcelo Grohe, recolocando o Colorado no clássico.

Na tentativa de conter o ânimo do rival, Felipão trocou o fôlego sem mudar na aposta no meio-campo. Sacou Ramiro e Luan para colocar Giuliano e Alan Ruiz, enquanto Abel escalou Valdivia na vaga de Alex. Os anfitriões, porém, com atletas mais descansados, conseguiram manter a bola nos pés e longe da grande área de Grohe.

Aos 30, Dudu, incansável, foi derrubado por Willians e, na cobrança da falta de Zé Roberto, o Inter cometeu falha coletiva que decidiu de vez o Gre-Nal. Rhodolfo desviou de cabeça e a bola atravessou toda a área até encontrar Alan Ruiz completamente livre, precisando só escorar para o gol. O jogo estava definido, com os minutos finais servindo só para o Colorado expor seu nervosismo cometendo faltas duras.

O Grêmio, porém, transformou a vitória em goleada com mais um contra-ataque, desta vez com Giuliano rolando para Alan Ruiz limpar a marcação e bater firme no canto esquerdo de Alisson, aos 36. Na comemoração, parou de costas em frente ao banco do Inter e Rafael Moura se irritou, com D’Alessandro partindo para cima do argentino. A confusão generalizada, sem expulsões, apenas aumentou a temperatura de um clássico já definido. Entre outras pequenas discussões, reduzidas também porque Alan Ruiz foi substituídos, a festa tricolor não diminuiu.