João Pessoa 25/04/2018 22:24Hs

Início » Esporte » Por respeito à torcida do Galo, Jô diz que não celebrará se fizer gol

Por respeito à torcida do Galo, Jô diz que não celebrará se fizer gol

Centroavante foi campeão da Libertadores de 2013 pelo Galo (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)

O centroavante Jô retorna pela primeira vez ao Mineirão e reencontra a torcida do Atlético-MG nesta quarta-feira, às 21h (de Brasília), em duelo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Campeão da Libertadores de 2013 com a camisa dos mineiros, o atacante disse que não comemorará se marcar um gol na partida em respeito à história que construiu no Galo e explicou sua posição após o treino desta terça-feira, no CT Joaquim Grava.

“Existem duas situações: se eu fizer o gol, eu não vou comemorar por respeito à torcida. Se tivesse aqui em Itaquera, eu ia comemorar em respeito à torcida do Corinthians. Mas eu estarei diante de torcedores que me abraçaram e que me respeitaram. Comemoração é um modo de extravasar. Mas, diante de uma torcida que me deu carinho, colocou comida no meu prato, não posso passar por cima disso”, comentou, bastante agradecido pelos três anos de Atlético.

“Conquistei sonhos, voltei para a Seleção, joguei uma Copa, é um sentimento de gratidão. Vou ajudar já fazendo gol, mas, se fizer, não vou comemorar. Se estivesse na arena eu comemorava, mas lá eu não vou fazer isso, não”, avaliou, bastante explicativo para evitar que corintianos se incomodem com sua decisão.

“Eu, no Internacional, não achei que tive uma passagem brilhante. Não que eu não respeite nem goste, mas não fiz história. Se eu fizesse um gol, comemoraria naturalmente lá no Beira-Rio. Mas eu fiz história no Atlético-MG, realizei sonhos ali. Por mais que eu faça um gol aos 45 do segundo tempo, eu tenho que ter um respeito diante dos torcedores. Se fosse aqui, eu comemoraria e, se acontecer, vou comemorar”, finalizou o camisa 7, sem esquecer seu coração corintiano.

“Realmente é uma mistura de sentimentos, meu sentimento é de gratidão ao clube que me ajudou num dos momentos mais difíceis da carreira, consegui retribuir com títulos. Hoje vivo um grande momento no Corinthians e é mais um clube que eu vou tentar fazer o meu melhor para que a gente ganhe”, avaliou, bastante elogioso ao elenco da equipe adversária.

“O Atlético tem uma equipe muito qualificada, uma das equipes que iria brigar, tem totais condições ainda, aliás. No meu modo de ver, por conhecer o clube, no Mineirão fica um jogo mais aberto. No Horto é pressão do primeiro ao último minuto. Tem que ir com cautela, saber jogar, se defender, ter paciência e, na hora de atacar, ser bem eficiente”, concluiu.

Gazeta Esportiva