João Pessoa 22/04/2018 14:44Hs

Início » Esporte » Santos se aproxima de DIS, mas salário pode emperrar volta de Ganso

Santos se aproxima de DIS, mas salário pode emperrar volta de Ganso

Peixe pretende alinhar um plano financeiro para bolar uma proposta e tentar 'seduzir' o grupo, dententor de 68% dos direitos do camisa 10 são-paulino

Ganso-comemoraPaulo Henrique Ganso tem contrato com o São Paulo até dezembro de 2016 (Foto: Getty Images)

O velho sonho da atual diretoria santista em trazer Paulo Henrique Ganso de volta à Baixada está mais vivo do que nunca. Nesta terça-feira (10 de novembro), Modesto Roma Júnior se reuniu com Roberto Moreno, presidente do grupo DIS, e tratou de diversos assuntos. Em meio a conversa, o mandatário alvinegro confirmou o desejo de tirar o camisa 10 do São Paulo. Moreno viu a possibilidade com bons olhos, principalmente por causa de uma dívida do Tricolor do Morumbi com o Grupo DIS e pela possibilidade de valorizar novamente o atleta.

Por enquanto, as conversas estão em estágio preliminares. O Peixe ainda não procurou os representantes do jogador e sequer entrou em contato com o São Paulo. A ideia é alinhar o plano com o grupo DIS, que detém 68% dos direitos econômicos de Ganso, e bolar uma proposta que atenda os interesses do jogador e do clube da Capital.

Esse é o principal entrave para os santistas. Ganso recebe R$ 300 mil por mês e não sairá do São Paulo para ganhar, no máximo, um salário igual. Sem condições de contratar o meia em definitivo, o Santos pretende abrir negociação por empréstimo. Porém, como o teto estipulado por Modesto Roma Júnior para o elenco é de R$ 200 mil por mês, mesmo que o Tricolor aceitasse pagar parte do salário de Ganso, o time da Vila Belmiro teria de subir sua oferta para atrair o interesse do jogador.

 

Por outro lado, um fator que pesa em uma possível saída de Paulo Henrique Ganso do São Paulo na próxima janela de transferências é o contrato com o meia acabar em setembro de 2017. Neste cenário, Ganso até poderia aceitar ser emprestado ao Santos por um salário equivalente ao que recebe atualmente. Para isso, o Tricolor teria de se movimentar no sentido de prorrogar o contrato do meia, no mínimo, por mais um ano.

O São Paulo já recusou propostas por Ganso de Napoli (Itália), Monaco (França), Orlando City (Estados Unidos) e Flamengo. Mas um estreitamento na relação entre Santos e DIS pode facilitar as coisas. Antes desafetos, clube e grupo de investimentos têm conversado com o intuito de resolver algumas pendências, inclusive judiciais, e, quem sabe, selarem um acordo.

Quando contratou Ganso, em 2012, o São Paulo, então dirigido por Juvenal Juvêncio, pegou R$ 23,9 milhões para adquirir o percentual de 45% que o Santos detinha do jogador. O clube alvinegro ainda conseguiu impor uma cláusula de comissão de 5% do valor de uma futura transferência.

Apesar de ter saído do Peixe em atrito com a diretoria da época e ser hostilizado pela torcida santista toda vez que retorna à Vila Belmiro, Ganso não enxerga qualquer problema em voltar a jogar pelo clube que o revelou para o futebol. Da mesma forma, Modesto Roma Júnior deixa claro que o problema do jogador não foi com o Santos, e sim com Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, ex-presidente. O atual mandatário é fã do camisa 10 e garante que o faria ser aceito novamente pela torcida, que chegou até a pichar sua imagem no muro do CT Rei Pelé.

Fox Sports