João Pessoa 19/08/2018 23:10Hs

Início » Esporte » Tranquilos, Cristovão e René deixam calma de lado quando a bola rola

Tranquilos, Cristovão e René deixam calma de lado quando a bola rola

Cercado de rivalidade, clássico vovô deste domingo, porém, só deixará um treinador "na boa"

Cristovao-Rene-Simoes_LANIMA20150307_0118_24Cristovão Borges e René Simões têm perfis bem parecidos. São mais calmos e gostam de levar o elenco na base do papo. Enquanto um está na crista da onda o outro está pressionado. Porém, quando a bola rolar no clássico deste domingo, entre Fluminense e Botafogo, às 18h30, no Maracanã, em partida que terá transmissão em tempo real pelo www.lancenet.com.br, a coisa deve ficar bastante diferente.

Diferentemente do que ocorre nos treinos, durante os jogos o tom de voz é mais alto. Pela adrenalina elevada, as broncas acabam sendo mais pesadas, mas raramente palavrões são utilizados e o incentivo é sempre o mesmo. Aliás, é muito difícil uma bronca que não seja sucedida por um incentivo logo no lance seguinte. Frases como ”viu como você pode?” e ”acredito em você” são muito usuais pela dupla.

Em termos de tabela, o Botafogo está mais tranquilo. O Alvinegro tem 19 pontos e lidera o Campeonato Carioca. Ao comentar esta situação, o técnico Cristovão Borges aproveitou a vantagem do rival para passar a pressão para o outro lado.

– Se o Botafogo perder, esquecem tudo isso. Hoje podem estar sendo usados como modelo, mas quando deixar de ser 100% vem a cobrança. O Cruzeiro é bicampeão brasileiro, está jogando a Libertadores e não fez um gol. O Atlético-MG ganhou Libertadores há pouco tempo e está com dificuldade. Assim é o futebol – destacou Cristovão.

René Simões, por sua vez, deixa claro que nunca se sentiu acomodado pela liderança. O treinador mostra ainda certa preocupação ao afirmar que o seu time ainda não está totalmente pronto:

– O Botafogo tem que trabalhar lá em cima. Mas meus indicadores (números levantados da equipe após as partidas) falam que não estou com o time formado ainda. Quando estivermos com tudo formado as coisas mudam. Não vejo tranquilidade aqui no Botafogo. Vejo algo preocupante. Quem acompanha o dia a dia sabe o quão difícil foi até chegarmos na liderança. Por isso, tem muita preocupação e é preciso fazer correções – afirmou René.

Por conta da rivalidade e das circunstâncias na tabela, o clássico tem extrema importância para ambas equipes. Pela lei do futebol somente um conseguirá manter a tranquilidade após a partida de hoje. Sendo assim, botafoguenses e tricolores esperam não perder a calma com seus respectivos clubes.

Lancenet