João Pessoa 19/08/2018 00:21Hs

Início » Esporte » Valdivia adota tom de saída, contesta produtividade e ataca Mattos

Valdivia adota tom de saída, contesta produtividade e ataca Mattos

valdivia qBastou Alexandre Mattos exigir dedicação e mostrar que a renovação de Valdivia não é prioridade para o meia se manifestar. Assim que acabou a entrevista coletiva do diretor de futebol, o jogador mais caro do Palmeiras publicou 16 mensagens em seu Twitter, sem medir palavras. Atacou o dirigente, culpou infiltrações dadas pelo departamento médico para não jogar e ainda contestou o modelo de contrato por produtividade. Até pediu para sair do clube pela porta da frente.

A declaração mais direta foi para Alexandre Mattos, que declarou não aceitar “ninguém maior que a instituição”. “Jamais, em sete anos de clube, me posicionei acima do Palmeiras, senhor Mattos. Com toda sua experiência, é mais fácil me chamar para conversar”, escreveu o chileno, adotando tom de saída.

“Tenho caráter, sim, e cumpro o que digo. Não poderia jogar em outra equipe aqui no Brasil é assim será. Só uso as cores do Palmeiras aqui. Mesmo indo embora no final do meu contrato, serei sempre agradecido pelo que o clube representa ainda na minha carreira. Mas isso não é um adeus. Todos os jogadores que saíram nos últimos anos tiveram problemas. Peço para sair, se for o caso, pela porta da frente”, manifestou-se.

O camisa 10 confirmou que seu pai, seu representante na negociação para ampliar o contrato que acaba em agosto, não foi atendido em reunião marcada para essa segunda-feira – Mattos preferiu ir ao Corinthians para receber um prêmio da ABEX Futebol (Associação Brasileira de Executivos do Futebol) pelo título brasileiro que conquistou com o Cruzeiro em 2014. “Ontem, tinha reunião marcada para tratar o assunto renovação, meu pai foi na hora dita, mas não conseguiu falar com ninguém e foi marcada para hoje”, escreveu.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Negociação arrastada resulta em irritação de Valdívia, que rebate diretor de futebol nas redes sociais

O Verdão já sinalizou que só aceitará renovar com Valdivia por um período mais curto e com drástica redução salarial, com contrato de produtividade, no qual o jogador ganha mais à medida que entra em campo. O chileno desconfia da estratégia, inclusive culpando-a pela campanha que quase rebaixou a equipe no Brasileiro do ano passado.

“Até o momento, ninguém da diretoria me informou que seria uma renovação por produtividade. Quem tem que esclarecer esse assunto não é o jogador, e sim o clube. E se for produtividade, só espero que não aconteça o que vivemos no ano passado, sofrendo até o final porque tinha muitos jogadores com contrato produtivo. Não é a pedra no sapato o tal contrato de produtividade. Fico triste porque tudo que está saindo não foi da minha boca, e sim de alguém querendo tumulto”, falou.

Valdivia trata de lesão na coxa esquerda desde novembro e, desde então, só jogou duas vezes, no sacrifício. Já foi até liberado para se tratar no Chile com as “mãos mágicas”., como define, do fisioterapeuta cubano José Amador, mas culpa o esforço do ano passado para não se curar e, nessa segunda-feira, deixou o treino levando a mão à coxa direita, que não estaria lesionada.

“Fase final de recuperação significa dores musculares e cansaço, e isso vai acontecer até ficar 100% fisicamente. Não esqueçam os cornetas que, no final do ano passado, tomei duas infiltrações para poder jogar. Não gosto de bolerar e falar aquilo que fiz ou não, mas é bom sempre lembrar que por causa disso ainda estou sem poder jogar”, avisou.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Ainda sem ter estreado na temproada, Valdívia nesta semana completou três meses sem jogar

“Sempre cumpri as regras internas e, quando não foi assim, fui punido, como muitos já foram. Espero não criar atrito com ninguém. Entendam meus motivos de vir a esclarecer o que está acontecendo. Amanhã, torço pela vitória dos meus companheiros. Só para esclarecer e parar de fofocas baratas, até porque hoje o principal foco é a boa fase que o clube vive e a minha fase final de recuperação”, concluiu o jogador mais caro do elenco.

Confira a sequência de tweets do Valdívia:

“Queria esclarecer e parar de fofocas baratas, até porque hoje o principal foco é a boa fase que o clube vive e a minha fase final de recuperação.”

”Ontem tinha reunião marcada para tratar o assunto renovação. Meu pai foi na hora dita, mas não conseguiu falar com ninguém, e (a reunião) foi marcada pra hoje.”

“Até o momento ninguém da diretoria me informou que seria uma renovação por produtividade. Quem tem que esclarecer esse assunto não é o jogador e sim o clube.”

“E se for produtividade só espero que não aconteça o que vivemos ano passado, sofrendo até o final porque tinha muitos jogadores com contrato produtivo.”

Djalma Vassão/Gazeta Press

Declarações podem fazer clima pesar nas tratativas, o que contribuiria para possível saída de Valdívia

”Não é a pedra no sapato o tal contrato de produtividade. Fico triste porque tudo que está saindo não foi da minha boca e sim de alguém querendo tumulto.”

“Tenho caráter sim e cumpro o que digo, não poderia jogar em outra equipe aqui no Brasil. E assim será. Só uso as cores do palmeiras aqui.”

“Mesmo indo embora no final do meu contrato, serei sempre agradecido pelo que o clube representa ainda na minha carreira. Mas não um adeus.”

“Repito que não era momento de falar tudo isso porque o momento é dos jogadores que passam por uma fase espetacular, e espero (que) continue assim.”

“Mas todos os jogadores que saíram nos últimos anos tiveram problemas, e eu peço (para) sair, se for o caso, pela porta da frente”

“Fase final de recuperação significa dores musculares, cansaço, e isso vai acontecer até ficar 100% fisicamente. Não esqueçam os cornetas que, no final do ano passado, tomei duas infiltrações para poder jogar. Não gosto de boleirar e falar aquilo que fiz ou não, mas é bom sempre lembrar.