João Pessoa 26/05/2018 00:20Hs

Início » Mundo » Antecedentes do atirador de Orlando indicam homem violento e homofóbico

Antecedentes do atirador de Orlando indicam homem violento e homofóbico

omar-mateen-3Omar Mateen batia na ex-mulher e detestava os gaysMyspace

As primeiras informações sobre os antecedentes do atirador que matou 50 pessoas em uma boate gay da Flórida apontam um homem violento e homofóbico.

O suspeito é Omar Mateen, de 29 anos, um cidadão americano muçulmano de origem afegã, que trabalhava como segurança.

As autoridades americanas investigam as motivações do atirador. O atentado foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI).

Citando fontes das forças de segurança, veículos da imprensa americana informam que Mateen ligou para o 911 pouco antes do massacre na boate Pulse para expressar sua lealdade aos jihadistas.

Familiares do atirador entrevistados pela imprensa rejeitam essa versão, afirmando que Mateen não era muito religioso, mas era homofóbico e batia com frequência na ex-mulher.

Furioso por ver gays se beijando

Em choque, o pai de Mateen, Mir Seddique, disse que seu filho estava furioso após ter visto recentemente dois homossexuais se beijando em uma rua de Miami.

“Estávamos no centro de Miami, em Bayside. Tinha gente tocando música”, contou o pai à rede NBC. “Ele viu, então, dois homens se beijando, na frente de sua mulher e de seu filho, e ficou enfurecido”, disse Seddique.

O tiroteio, o pior da história recente dos Estados Unidos, ocorreu na boate Pulse, uma conhecida casa gay de Orlando. “Estamos em choque como todo o país”, completou Seddique, insistindo em que “isso não tem nada a ver com a religião”.

Em outra entrevista, a ex-mulher do suspeito, que o abandonou em 2011 por temer por sua vida, revelou que ele era violentamente abusivo.

“Não era uma pessoa estável”, declarou a ex-esposa ao jornal The Washington Post, que não divulgou sua identidade por questões de segurança.

“Ele me batia. Podia chegar em casa e começar a me bater só porque a roupa não estava lavada ou alguma coisa do tipo”, relatou na entrevista.

Segurança em centro para jovens delinquentes

Segundo o relato da ex-esposa de Mateen, ambos se conheceram em Nova York, mas se mudaram para Fort Pierce, na Flórida, em março de 2009.

Os pais da ex-mulher do atirador conseguiram tirá-la dessa relação e, depois, ela se divorciou, como mostra um documento judicial obtido pela agência France Presse.

A ex-esposa o descreveu como uma “pessoa privada”, mas não particularmente expressiva sobre sua fé muçulmana.

Ele tinha um revólver de pequeno calibre e trabalhava como segurança em um centro de reclusão para jovens delinquentes.

Segundo um artigo do site Daily Beast, que cita fontes do FBI, Mateen foi investigado duas vezes por possíveis laços com extremistas em 2013 e em 2014, mas nunca foi processado.

De acordo com o Departamento de Agricultura e Serviços do Consumidor da Flórida, a licença de porte de armas de Marteen expira em setembro do próximo ano.

Noticiário Francês