João Pessoa 17/08/2018 04:06Hs

Início » Mundo » Deputados franceses devem adotar resolução que reconhece Estado da Palestina

Deputados franceses devem adotar resolução que reconhece Estado da Palestina

deputados grancesesOs deputados franceses devem adotar nesta terça-feira (2) uma resolução que reconhece a existência do Estado da Palestina. O texto tem valor simbólico e visa pressionar a comunidade internacional para retomar as negociações e obter uma “solução definitiva” do conflito, de acordo com o governo francês.

 O parlamento britânico e espanhol já adotaram uma resolução similar. Mesmo sem valor jurídico e institucional, o documento é um reflexo do posicionamento dos governos europeus. O texto francês é uma proposta da maioria socialista e deverá ser adotada apesar da oposição de direita. O governo israelense classificou a iniciativa francesa de “erro grave” e disse que se trata de uma decisão unilateral, que só agravará a situação.

Em outubro, os israelenses já haviam criticado a decisão da Suécia, que se tornou o 135° país a reconhecer oficialmente o Estado da Palestina. A iniciativa dos deputados franceses integra um movimento global na Europa que considera esse reconhecimento como um maneira de relançar o processo de paz e “ressuscitar a solução dos dois Estados.”

Durante um debate na Assembleia Legislativa, os deputados socialistas insistiram na necessidade de agir diante do impasse total da situação no Oriente Médio. Vinte anos depois do acordo de Oslo, Israel mantém a construção de novos assentamentos, fracasso das negociações e multiplicação da violência.

A oposição francesa é favorável ao princípio de um Estado da Palestina, questiona a oportunidade da iniciativa em um contexto político tenso, e teme “importar” o conflito entre israelenses e palestinos para a França, onde estão as maiores comunidades judaicas e muçulmanas na Europa.

Palestinos querem submeter texto no Conselho de Segurança

Os representantes palestinos pretendem submeter um texto ao Conselho de Segurança da ONU pedindo o fim da ocupação israelense em novembro de 2016. O projeto, que tem o apoio da Liga Árabe, pode sofrer o veto dos Estados Unidos. Caso a iniciativa falhe, a Autoridade Palestina pretende solicitar a adesão a diversas organizações internacionais, entre elas, o Tribunal Penal Internacional.

 

RFI