João Pessoa 18/08/2018 02:56Hs

Início » Mundo » ‘Despacito’ domina Grammy Latino com 4 estatuetas; Nando Reis e Mart’nália são premiados

‘Despacito’ domina Grammy Latino com 4 estatuetas; Nando Reis e Mart’nália são premiados

O porto-riquenho Luis Fonsi, autor de ‘Despacito’, levou quatro estatuetas no Grammy Latino em 16 de novembro de 2017.Carlo Allegri/ Reuters

A música “Despacito”, sucesso planetário de Luis Fonsi e Daddy Yankee, levou quatro Grammys Latinos na 18ª edição do prêmio, nesta quinta-feira (16), em Las Vegas.

 A canção obteve os prêmios de melhor música do ano, melhor gravação, melhor fusão por sua versão com Justin Bieber, que alcançou o topo do ranking Hot 100 da Billboard, e melhor vídeo em versão curta.

“Este prêmio é trabalho em equipe, há muita gente envolvida. (…) Daddy Yankee, obrigada por se juntar”, disse Fonsi ao receber o prêmio de melhor gravação, que dedicou, entre lágrimas, à sua família e à sua Porto Rico natal, que se recupera da devastação causada pelo furacão Maria.

Música brasileira

Entre os brasileiros premiados estão Tiago Iorc, que levou o Grammy Latino de melhor álbum pop contemporâneo em língua portuguesa, com “Troco Likes Ao Vivo: Um Filme De Tiago Iorc”, e Nando Reis, na categoria melhor álbum de rock ou música alternativa em língua portuguesa, com “Jardim – Pomar”.

O cantor Daniel levou o prêmio de melhor álbum de música sertaneja, com “Daniel”, enquanto Aline Barros venceu na categoria de melhor álbum de música cristã (língua portuguesa), com “Acenda a Sua Luz”, e Mart’nália ganhou o prêmio de melhor álbum de samba/pagode, com “+ Misturado”. No ano passado, seu pai, Martinho da Vila, foi premiado.

O prêmio de melhor álbum de Música Popular Brasileira foi para Edu Lobo, Romero Lubambo e Mauro Senise, por “Dos Navegantes”, e o de melhor canção em língua portuguesa para Ana Vitória com Tiago Iorc, por “Trevo (Tu)”.

Na categoria álbum de música de raízes brasileiras a vencedora foi Bruna Viola, por “Ao Vivo – Melodias do Sertão”.

Salsa, rap e bachata

O Grammy Latino de álbum do ano foi para “Salsa Big Band”, de Rubén Blades, com Roberto Delgado e sua orquestra.

O trabalho do veterano panamenho, o segundo gravado com seu compatriota Delgado e banda, levou também o prêmio de melhor álbum de salsa.

O rapper porto-riquenho Residente, que chegou com nove indicações ao Grammy, acumula duas estatuetas: melhor álbum de música urbana por “Residente”, seu ambicioso projeto baseado em um estudo de seu genoma, e pela canção “Somos anormales”.

“A arte não tem a ver com números”, então “parem de falar de quantidade de seguidores, quantidade de views, e comecem a falar de música”, disse.

O dominicano Vicente García, 34, levou o prêmio de melhor artista revelação, acumulando três Grammy, após seu “A la mar”, produzido por Eduardo Cabra, conquistar melhor álbum cantor/autor e melhor canção tropical, com “Bachata en Kingston”.

A maioria dos prêmios foi entregue na Premiere, uma cerimônia que antecede à grande festa transmitida pela TV, à qual nem Luis Fonsi, nem Daddy Yankee compareceram.

(Com informações da AFP)