João Pessoa 20/05/2018 19:40Hs

Início » Mundo » Indonésia rejeita troca de detentos para evitar execução de australianos

Indonésia rejeita troca de detentos para evitar execução de australianos

indonésia rejeita trocaA Indonésia rejeitou com firmeza nesta quinta-feira (5) a proposta feita pela Austrália de troca de prisioneiros para evitar a execução de dois cidadãos australianos, condenados à morte no país por tráfico de drogas. O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, participou esta manhã de uma vigília, em Camberra, e pediu clemência ao presidente da Indonésia para evitar o fuzilamento iminente dos condenados, mas Jacarta está intransigente.

Os australianos Andrew Chan, de 31 anos, e Myuran Sukumaran, de 33, foram condenados à pena capital em 2006 por liderar uma rede de trafico de heroína entre a Indonésia e a Austrália. Eles foram transferidos ontem (4) para o corredor da morte e podem ser executados em breve.

Após o pedido de clemência feito esta manhã pelo premiê Abbott, a ministra australiana das Relações Exteriores, Julie Bishop, telefonou à chanceler indonésia, Retno Marsudi, para discutir o caso. Segundo a imprensa australiana, durante a conversa tensa, Bishop fez a proposta de troca de detentos. Ela sugeriu extraditar três indonésios presos na Austrália desde 1998 por tráfico de heroína, contra os dois australianos condenados à morte na Indonésia. “Estamos tentando tudo para salvar as vidas dos nossos cidadãos”, declarou Bishop.

Indonésia intransigente

O governo indonésio reagiu com rapidez, rejeitando a proposta. O presidente da Indonésia Joko Widodo está determinado a aplicar a pena de morte contra os condenados por tráfico droga no país.

Pela primeira vez desde 2013, a Indonésia executou no dia 18 de janeiro cinco estrangeiros condenados à morte no país, entre eles o brasileiro Marco Archer. Os australianos integram um grupo de dez prisioneiros, incluindo o brasileiro Rodrigo Gularte, cuja execução já foi decidida por Jacarta.

Noticiário Internacional