João Pessoa 26/04/2018 03:52Hs

Início » Mundo » Líder da Al Qaeda pede união aos jihadistas contra os EUA e Rússia

Líder da Al Qaeda pede união aos jihadistas contra os EUA e Rússia

ayman-al-zawahiri-originalAyman al Zawahiri, que assumiu a liderança da Al Qaeda após a morte de Osama bin Laden
O líder da Al Qaeda, Ayman al-Zawahiri, pediu que os jihadistas parem de lutar entre si na Síria e se unam para combater os Estados Unidos e Rússia. “É preciso se unir, rejeitar as disputas e suspender os combates entre os mujahedines [guerreiros jihadistas]“, disse Al-Zawahiri em um áudio divulgado em páginas jihadistas.

A gravação, de 16 minutos de duração e cuja autenticidade não pode ser comprovada, parece indicar uma mudança de postura da Al Qaeda com relação a seu rival Estado Islâmico (EI), embora Al-Zawahiri não nomeie diretamente este grupo.

 

“Os americanos, os russos, iranianos, alauitas e (o grupo xiita libanês) Hezbollah estão lançando sua guerra contra nós, por acaso não somos capazes de deixar de lutar entre nós para poder dirigir todo nosso esforço contra eles?”, se questionou o dirigente da Al Qaeda.

Al-Zawahiri insistiu que “a frente do Sham (o Levante mediterrâneo) é um ponto chave para libertar a Palestina” e que a união dos jihadistas nesta zona é “a porta do triunfo”.

O líder pediu, além disso, que “os mujahedines não gastem seus esforços em se matar, enquanto os outros estão unidos”, em clara alusão ao conflito na Síria entre o EI e a Frente al Nusra, a filial síria da Al Qaeda. Em seu discurso, Al-Zawahiri pediu unidade de todos os muçulmanos, desde Marrocos ao Cáucaso e Somália, e destacou que ” trata-se de uma batalha global para conter os sistemas apóstatas”.

Voltando ao tema palestino, Al-Zawahiri pediu que seja estabelecido “um Estado Islâmico no Egito e o Sham para mobilizar a nação muçulmana e libertar Palestina”. Para conseguir isto, o dirigente terrorista advogou por atacar o Ocidente e seus interesses no mundo todo e continuar com atentados como os de 11 de setembro em Nova York.

Al-Zawahiri sempre desqualificou o EI e o líder Abu Bakr al-Bagdadi, embora alguns ramos da Al Qaeda, como Al Qaeda na Península Arábica (AQPA), já tenham pedido anteriormente apoio a este grupo jihadista em sua luta no Iraque e Síria contra a coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos.

(Com EFE)