João Pessoa 27/05/2018 17:46Hs

Início » Mundo » Mais de 800 reféns do Boko Haram são resgatados; líder diz que “é o fim”

Mais de 800 reféns do Boko Haram são resgatados; líder diz que “é o fim”

Exército nigeriano exalta ação como sem precedentes nos combates ao grupo, aliado do Estado Islâmico na África

REFENS NIGERIANOReféns caminham após serem resgatados por tropas militares, na última terça-feira (22)
Mais de 800 reféns do Boko Haram foram resgatados pelo Exército da Nigéria em diversos vilarejos do Estado de Borno, no nordeste do país. Aliado ao Estado Islâmico, o grupo terrorista vem sofrendo seguidas baixas, o que levou o líder Abubakar Shekaku a afirmar que “é o fim”, em vídeo divulgado dois dias depois da ação militar, realizada na quinta-feira (24).
As ações militares ocorreram em Kusumma, de onde 520 refés foram resgatados, e em outros 11 vilarejos espalhados pelo Estado – um total de mais de 309 –, após combates contra rebeldes do grupo, conhecido por ser tão ou mais cruel quanto o Estado Islâmico, apesar de ter menor influência do que o grupo que concentra suas bases na Síria e no Iraque.

Um porta-voz do Exército afirmou que 22 terroristas do Boko Haram foram mortos nas ações, que apreenderam armas de fogo usadas pelo grupo e uma motocicleta. “As tropas galantes limparam o resto dos terroristas que hibernavam na área geral de Kala Balge”, afirmou o coronel Sani Kukasheka Usman quase três dias após as ações, realizadas na terça-feira (22). “Em uma operação sem precedentes, as tropas também realizam esforços para limpar os restos dos terroristas em todas as áreas circundantes.”

No mesmo dia da divulgação do resgate, o líder do grupo, Abubakar Shekau, divulgou um vídeo dramático, classificado por militares nigerianos como o testamento do terrorista. Nele, Shekau, em tom bastante passivo, diz: “Para mim é o fim. Que Alá nos proteja do mal. Agradeço ao meu criador”.

Militares da Nigéria estão convencidos de que a gravação não é outra coisa que não o “testamento” do terrorista, citando o tom submisso da mensagem, diferente do habitual do líder, “usualmente arrogante”. Foi a primeira vez que ele apareceu em imagens em um ano – período em que foi anunciado diversas vezes como morto.

No entanto, analistas nigerianos são cautelosos e salientam que não se sabe ainda se a mensagem do líder se refere ao grupo como um todo ou a ele próprio. Neste último caso, Shekau poderia abdicar do comando do Boko Haram. Além disso, não se exclui que o vídeo possa ser uma armadilha.
Líder do Boko Haram, Abubakar Shekau: tom submisso pode ser tanto rendição quanto armadilha
A atuação do grupo jihadista está concentrada no norte da Nigéria, de maioria muçulmana, mas também atinge nações vizinhas, como Camarões, Níger e Chade. Seu objetivo é implantar um regime fundamentalista islâmico na parte setentrional do país, tal como o Estado Islâmico no Oriente Médio.

Os atentados e massacres do Boko Haram já deixaram milhares de mortos, mas o grupo só ganhou o noticiário internacional em abril de 2014, ao sequestrar quase 300 estudantes de uma escola de Chibok. Do total, 219 permanecem desaparecidas até hoje.

No ano passado, a milícia declarou lealdade ao Estado Islâmico (EI), submetendo-se à autoridade do autoproclamado califa Abu Bakr al Baghdadi. Contudo, o Boko Haram vem perdendo força nos últimos meses, principalmente por causa das operações militares conjuntas entre Nigéria, Níger e Chade.

IG