João Pessoa 25/06/2018 18:12Hs

Início » Mundo » Novo naufrágio mata cinco refugiados no litoral da Turquia

Novo naufrágio mata cinco refugiados no litoral da Turquia

novo naufragioAo menos cinco migrantes, entre eles um bebê e duas crianças, morreram na noite de quarta-feira (9) em um naufrágio em frente à costa ocidental da Turquia, informou nesta quinta-feira (10) a agência de notícias turca Dogan.

A embarcação, que transportava migrantes de nacionalidade afegã e iraniana, naufragou a 500 metros da localidade de Kayalaralti, na província de Çanakkale (noroeste). A guarda-costeira turca conseguiu socorrer outros nove migrantes que estavam no barco, que se dirigia à ilha grega de Lesbos. Outras duas pessoas estão desaparecidas.

Essa nova tragédia ocorre três dias depois de uma cúpula em Bruxelas entre a União Europeia (UE), que enfrenta uma onda histórica de imigração, e a Turquia, que abriga em seu solo 2,7 milhões de sírios que fugiram da guerra civil em seu país.

Turquia pede € 6 bilhões para receber migrantes de volta

Na reunião, a Turquia se comprometeu a readmitir todos os migrantes, incluindo os sírios, que entraram clandestinamente na Grécia a partir de sua costa. Em contrapartida, a EU deve conceder asilo a um sírio por cada pessoa desta mesma nacionalidade que a Turquia receber de volta em seu território.

Ancara também exigiu um aumento da ajuda prometida por Bruxelas, de € 6 bilhões, o dobro do previsto inicialmente, a supressão até 30 de junho dos vistos de entrada no espaço Schengen exigidos aos seus cidadãos e a aceleração de seu processo de adesão à UE.

Fechamento da rota dos Bálcãs gera polêmica

A chanceler alemã, Angela Merkel, declarou nesta quinta-feira (10) que a decisão de fechar a rota dos Bálcãs não resolve o problema migratório vivido atualmente na Europa. “Não se resolve o problema tomando uma decisão unilateral. É preciso haver uma solução que seja boa para os 28 países da União Europeia e é nisso que eu tenho me engajado”, afirmou Merkel numa entrevista para a rádio pública alemã MDR.

A chanceler criticou a decisão da Áustria, e que depois foi seguida pela Eslovênia, Croácia, Sérvia e Macedônia, de fechar a rota dos Bálcãs. “O fechamento desta rota diminui a entrada de pessoas nesses países, mas coloca a Grécia numa situação bastante complicada”, avaliou Merkel.

Os ministros do Interior dos 28 países da União Europeia estão reunidos nesta quinta-feira, em Bruxelas, para discutir mais uma vez a crise migratória e as negociações com a Turquia. A previsão é que a reunião dure dois dias.

Noticiário Internacional