João Pessoa 26/05/2018 19:17Hs

Início » Mundo » Polícia de Nova York usa câmera nos uniformes após morte de vendedor ambulante negro

Polícia de Nova York usa câmera nos uniformes após morte de vendedor ambulante negro

Policia Câmera Nova YorkCerca de 60 policiais de Nova York vão trabalhar, a partir desta sexta-feira (5), com uma câmera filmando todas suas ações. Essa é uma das ações anunciadas pelo prefeito Bill de Blasio como resposta aos protestos contra a violência de policiais, como a que levou à morte do vendedor ambulante negro Eric Garner. Informações de Luisa Leme, correspondente da RFI em Nova York.

O uso de câmeras instaladas nos uniformes é apenas uma das medidas das autoridades de Nova York, que conta implementar um programa de treinamento completo da polícia. A nova série de reformas começa com mais de 20 mil oficiais, que passarão por uma formação de três dias a partir de janeiro. De acordo com o prefeito, os policiais vão aprender como escutar mais e se comunicar melhor com a comunidade, sem necessariamente usar a força.

De Blasio disse que a medida é um começo de resposta às manifestações, e que “o relacionamento entre polícia e a comunidade tem que mudar” na cidade. O prefeito, que tem uma família bi-racial e um filho adolescente negro, disse que essa é uma questão pessoal importante para muitas famílias no país. Ele disse que “todos precisam saber que serão respeitados pela polícia e tratados da mesma maneira, independentemente de quem sejam.”

“Vidas negras importam tanto quanto vidas brancas,” disse o prefeito, que foi imediatamente criticado pelo sindicato dos policiais da NYPD. De Blasio fez campanha sobre mudanças estruturais na polícia e as práticas contestadas de alguns oficiais, como o “stop and frisk” (abordagem de jovens negros e latinos de maneira violenta).

Governo quer investigar o caso de Eric Garner

O governador Andrew Cuomo já disse que é preciso analisar o sistema jurídico que tem absolvido a maioria de policiais envolvidos em casos de brutalidade, como o de Eric Garner, em Nova York, e Michael Brown, em Ferguson. O procurador geral da república, Eric H. Holder Jr., afirmou que vai abrir sua própria investigação sobre o caso.

Além do processo na justiça federal, a família de Garner entrou com uma ação contra a cidade de Nova York e pede U$S 75 milhões por danos morais.

 

RFI