João Pessoa 20/07/2018 12:28Hs

Início » Mundo » Relações entre Rússia e EUA sofrem novo abalo com redução de vistos

Relações entre Rússia e EUA sofrem novo abalo com redução de vistos

Ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, em MoscouREUTERS/Maxim Shemetov

Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira (21) uma redução em seu serviço de concessão de vistos na Rússia, atribuindo a decisão à forte diminuição de pessoal no seu serviço consular, exigida por Moscou em represália à adoção de novas sanções americanas.

O chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, criticou a iniciativa americana, dizendo ser uma tentativa de provocar a insatisfação dos russos contra as ações do governo de Putin. “É uma lógica bem conhecida, é a lógica daqueles que organizam as revoluções coloridas “, acrescentou, “sobretudo a ‘Revolução laranja’ na Ucrânia”.

A embaixada dos EUA em Moscou especifica em seu site que a emissão de vistos para cidadãos russos será suspensa a partir de quarta-feira, 23 de agosto, com a exceção de pedidos de imigração, e que retomará em 1° de setembro em “um nível altamente reduzido”. “Nós operaremos em capacidade reduzida enquanto nosso efetivo estiver reduzido”, diz o texto.

Vistos só em Moscou

A embaixada acrescentou que a emissão de vistos em consulados espalhados pela Rússia permanecerão suspensos indefinidamente”, o que significa que os russos querendo viajar aos Estados Unidos agora terão de fazer todos os trâmites em Moscou.

Os Estados Unidos têm três consulados na Rússia, localizados em São Petersburgo, Ekaterimburgo e Vladivostok.

De acordo com uma porta-voz do ministério russo da Relações Exteriores, Maria Zakharova, os Estados Unidos emitiram 150 mil vistos para cidadãos russos no ano passado.

Após a votação sobre novas sanções contra o seu país pelo Congresso, promulgadas não sem reticência por Donald Trump, o presidente Vladimir Putin ordenou no mês passado que Washington reduzisse sua equipe diplomática na Rússia em 755 pessoas, ou 60% da sua força de trabalho, até o 1° de setembro deste ano.

Ao comentar esta decisão em seu site, a Embaixada dos Estados Unidos disse se perguntar sobre a “seriedade” da vontade da Rússia em melhorar as relações entre os dois países.

Noticiário Francês