João Pessoa 26/04/2018 03:49Hs

Início » Mundo » Rússia enterra as primeiras vítimas de queda de avião no Egito

Rússia enterra as primeiras vítimas de queda de avião no Egito

Centenas de pessoas deixaram flores nas cerimônias fúnebres pelo país. Famílias disseram que não querem falar de política ou apontar culpados.

queda de aviãoMãe de Alexei Alekseyev, uma das vítimas do acidente com um avião russo que caiu na península do Sinai, chora em seu funeral em São Petersburgo, na Rússia (Foto: Ivan Sekretarev/AP)

O Reino Unido e os EUA afirmaram que a aeronave pode ter sido derrubada por uma bomba, hipótese que o Egito e a Rússia não confirmam.

No funeral de uma das vítimas, Nina Lushchenko, a cerca de 200 km de São Pertesburgo, parentes e amigos disseram que não queriam falar de política nem saber quem são os culpados por agora.

Lushchenko, uma mulher de 60 anos que trabalhava na cantina de um escola, foi enterrada em uma pequena vila na área de Novgorod.

Outra vítima, Alexei Alekseyev, de 31 anos, foi enterrada nesta quinta-feira na cidade de São Petersburgo.

Mikhail, neto de Nina Lushchenko, uma das vítimas da queda do voo de um avião russo na península do Sinai, no funeral da avó (Foto: Ivan Sekretarev/AP)Mikhail, neto de Nina Lushchenko, uma das vítimas da queda do voo de um avião russo na península do Sinai, no funeral da avó (Foto: Ivan Sekretarev/AP)
Sobrinho de Nina Lushchenko, uma das vítimas da queda do voo de um avião russo na península do Sinai, no funeral (Foto: Dmitry Lovetsky/AP)Sobrinho de Nina Lushchenko, uma das vítimas da queda do voo de um avião russo na península do Sinai, no funeral (Foto: Dmitry Lovetsky/AP)
Enterro de Nina Lushchenko, que tinha 60 anos e trabalhava na cantina de uma escola (Foto: Dmitry Lovetsky/AP)
Enterro de Nina Lushchenko, que tinha 60 anos e trabalhava na cantina de uma escola (Foto: Dmitry Lovetsky/AP)
Família de Nina Lushchenko, que tinha 60 anos e trabalhava na cantina de uma escola, no enterro (Foto: Dmitry Lovetsky/AP)
Família de Nina Lushchenko, que tinha 60 anos e trabalhava na cantina de uma escola, no enterro (Foto: Dmitry Lovetsky/AP)

Estado Islâmico
A Inglaterra afirmou nesta quinta-feira (5) que há uma significativa possibilidade de que um grupo ligado ao Estado Islâmico esteja por trás de um suposto ataque a bomba que derrubou um avião russo sobre o Egito no fim de semana, segundo a Reuters. O Egito afirma que não há evidências de que a aeronave sofreu um ataque, informou a CNN.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse que não há “certeza” de que uma bomba tenha provocado o desastre, mas que essa hipótese é “cada vez mais provável”.

Nesta quinta-feira (5), David Cameron telefonou para o presidente russo, Vladimir Putin, para discutir a suspeita de atentado a bomba. O Kremlin informou em um comunicado que Putin disse a Cameron que deve-se “trabalhar com os dados da investigação oficial”. Os líderes trocaram opiniões sobre o desastre aéreo e analisaram assuntos relativos à “luta conjunta contra o terrorismo internacional”.

Na quarta-feira (4), a rede de TV americana CNN disse que as agências de inteligência americana sustentam que uma bomba do Estado Islâmico poderia ter derrubado o avião. A emissora citou uma fonte anônima do governo, que deixou claro que isso não se trata de uma conclusão oficial.

Para as autoridades egípcias, que lideram as investigações, no entanto, não há evidências de que uma bomba teria provocado a queda do avião. A equipe que investiga o desastre vai examinar se havia algum material explosivo a bordo do avião, segundo a Reuters.

G1