João Pessoa 24/06/2018 01:07Hs

Início » Mundo » Turquia não vai participar diretamente na luta contra o grupo EI

Turquia não vai participar diretamente na luta contra o grupo EI

turquia eiA Turquia reafirmou nesta quinta-feira (5) que não vai participar diretamente dos combates contra o grupo Estado Islâmico no Iraque e na Síria. O país dará apenas apoio ao governo iraquiano em sua ofensiva contra os jihadistas. Já a participação do Irã na ofensiva contra o movimento islâmico ultrarradical preocupa a comunidade sunita no Iraque.

 Na terça-feira (3), a Turquia enviou material militar para as forças iraquianas que lançaram uma ofensiva para reconquistar as cidades de Tikrit e Mossul, controladas há nove meses pelos ultrarradicais islâmicos. O apoio turco inclui ajuda logística, de inteligência, mas exclui armas letais.

O primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, quer diminuir a ameaça terrorista nas fronteiras da Turquia com o Iraque e a Síria, mas não quer se envolver diretamente no conflito armado. A Turquia foi muito criticada por ter apoiado os grupos rebeldes mais radicais que lutam pela queda do regime de Bashar al-Assad na Síria. As fronteiras porosas do país são utilizadas para o tráfico de armas aos insurgentes e também servem de passagem para combatentes europeus que se associam ao grupo Estado Islâmico.

Participação do Irã na ofensiva

A ofensiva contra os jihadistas do grupo Estado islâmico em Tikrit, norte do Iraque, marca o grande retorno do Irã a conflitos armados internacionais. Generais iranianos da brigada de elite Al Qods, do corpo de Guardiães da Revolução iraniana, conduzem as operações militares ao lado de comandantes iraquianos.

Essa nova aliança preocupa as comunidades sunitas do Iraque, que temem que os xiitas, corrente do islamismo predominante no Irã, aproveitem o contexto de combate ao grupo radical para realizar novos massacres contra os sunitas.

RFI