João Pessoa 21/07/2018 22:46Hs

Início » Notícias » Após torcida por cassação de Dilma, tucanos agora estão de olho no Governo da Paraíba

Após torcida por cassação de Dilma, tucanos agora estão de olho no Governo da Paraíba

cassação de dilma e ricardoAinda inconformado com a derrota em 2014, o PSDB Nacional trabalha, desde a posse da presidente Dilma (PT), para tirá-la do poder. Teses como impeachment, cassação e até sugestão de renúncia já ganharam os holofotes da mídia, mas até agora não vingaram.

No âmbito estadual, mais especificamente no Estado da Paraíba, a tese também contaminou os tucanos, que agora sonham com o executivo estadual diante da possibilidade de uma cassação do mandato do governador Ricardo Coutinho (PSB). É que o PSDB ingressou com cerca de dez processos na justiça eleitoral contra o Governo do Estado e espera sair vitorioso.

Nesta sexta-feira (10), por exemplo, o presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro foi mais além e declarou a jornalistas que já estava pronto para assumir a vice-governadoria ao lado do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), ambos derrotados no pleito de 2014.

Assim como a executiva nacional pensa com relação ao Governo Dilma, os tucanos na Paraíba também reprovam algumas medidas de governo e acreditam que estas podem ser fundamentais para uma cassação e consequente posse dos segundos-colocados – Aécio no lugar de Dilma e Cássio no lugar de Ricardo Coutinho.

Na Paraíba os tucanos esperam que a história se repita, mas sendo eles os beneficiados e não os prejudicados. Em 2009, com a cassação do governador Cássio Cunha Lima (PSDB), assumiu “no tapetão” o então senador José Maranhão (PMDB). A torcida é que o raio caia novamente no mesmo lugar, ou seja, no Palácio da Redenção

A confiança dos tucanos em uma possível cassação do governador Ricardo Coutinho é proporcional a confiança da defesa do governador Ricardo Coutinho na rejeição das AIJES (Ação de Investigação Judicial Eleitoral) impetrada pelos adversários. A defesa acredita que as ações dos adversários derrotados nas eleições de 2014 serão rejeitadas, comprovando que a eleição do governador Ricardo Coutinho ocorreu de forma soberana e democrática.

“Estamos absolutamente confiantes que ao longo de todo o ano de 2014 o comportamento da gestão foi dentro dos princípios da moralidade e que em nenhum momento a eleição modificou a forma de agir do governo e de qualquer tipo de ação administrativa do Estado. A vitória de Ricardo Coutinho que aconteceu em 2014 foi por conta de uma eleição livre e soberana do eleitor paraibano”, disse.

Agora é esperar as cenas dos próximos capítulos.

PB Agora