João Pessoa 24/06/2018 14:31Hs

Início » Mundo » Atirador invadiu escola nos EUA para matar a mãe, diz jornal

Atirador invadiu escola nos EUA para matar a mãe, diz jornal

O autor do massacre morreu dentro da Escola Primária Sandy Hook (Foto: Reuters)

O suposto atirador que abriu fogo em uma escola primária em Connecticut nesta sexta-feira (14) matou a sua mãe, que era professora no local, antes de disparar contra os 18 alunos da classe dela e outros adultos, afirmou o jornal New York Times. O ataque deixou 26 mortos, 20 crianças e sete adultos. O atirador também morreu.

O autor do massacre morreu dentro da Escola Primária Sandy Hook, na localidade de Newtown, em Connecticut, na Costa Leste dos EUA, disse o tenente da polícia local Paul Vance em entrevista coletiva.
A diretora e a psicóloga da escola estão entre os mortos, de acordo com a CNN. Testemunhas disseram ter escutado dezenas de tiros – houve quem falasse em mais de cem disparos. O suspeito, de 24 anos, portava quatro armas e usava colete à prova de balas, segundo a WABC.

Três pessoas foram levadas para um hospital da região em estado grave, segundo autoridades.

Uma pessoa está sob custódia policial após ser detida em um bosque próximo à escola usando calças camufladas, disse a CBS.

Imagens de TV mostraram carros de polícia e ambulâncias em frente à escola, que tem alunos na faixa dos 5 a 10 anos. Pais eram vistos correndo na direção da escola e levando seus filhos embora.

“Foi horrível”, disse Brenda Lebinski, mãe de uma aluna da terceira série. “Todo mundo estava histérico – pais, alunos. Havia crianças saindo da escola ensanguentadas. Não sei se foram baleadas, mas estavam ensanguentadas.”

Irmão do suspeito

Segundo a CNN, um irmão do suspeito foi encontrado morto nesta sexta-feira (14). As autoridades fizeram uma busca na casa dele depois do tiroteio.

Obama

O presidente Barack Obama foi informado e está recebendo atualizações ao longo do dia, segundo seu porta-voz, Jay Carney, que qualificou o evento de “trágico”.

O porta-voz disse que as implicações do caso serão discutidas depois, mas que Obama continua comprometido em renovar a proibição do porte de armas.

Outros casos

Escolas são cenários frequentes de massacres desse tipo nos EUA. No pior deles, em 2007, 32 pessoas foram mortas por um ex-aluno na Universidade Virginia Tech.

Num outro caso marcante, em 1999, dois adolescentes assassinaram 12 colegas e uma professora antes de cometerem suicídio na escola de ensino médio Columbine, no Colorado.

 

 

 

reuters