João Pessoa 25/06/2018 09:50Hs

Início » Notícias » Cozinhas Comunitárias oferecem mil refeições diárias para famílias em JP

Cozinhas Comunitárias oferecem mil refeições diárias para famílias em JP

Ana Carla, 24 anos, tem três filhos – o mais novo deles, com apenas quatro meses de idade. Com uma pensão de apenas R$ 190, ela mantém a família sozinha, sem a ajuda do pai das crianças. Ana Carla é uma das moradoras da Comunidade Taipa, localizada no Costa Silva, beneficiada com o projeto Cozinhas Comunitárias, que oferece diariamente, e de maneira gratuita, cerca de mil refeições para famílias em situação de risco e insegurança alimentar em João Pessoa.
O projeto é desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), do Governo Federal. Bairro dos Novais, Conjunto Gervásio Maia, Comunidade Bela Vista (Cristo) e Timbó (Bancários) são as outras localidades que contam com o serviço, que vem mudando a condição nutricional de crianças, gestantes, idosos, pessoas sem emprego e deficientes, situadas abaixo da linha da pobreza. O projeto garante a este público o direito humano à alimentação adequada.
“Depois que a cozinha foi instalada aqui, meus filhos ficaram mais saudáveis e apresentaram melhora no peso. A mais velha, com 8 anos, chegou aqui com 20 quilos. Hoje, está com 29. Já o de 4 anos passou de 16 para 19kg”, conta Ana Carla, satisfeita.
Como funciona – As famílias atendidas nas Cozinhas Comunitárias são acompanhadas pelos profissionais das Unidades de Saúde da Família (USFs), que, em conjunto com os Centros de Referência da Assistência Social (Cras), fazem o cadastro dos moradores em situação de vulnerabilidade social de cada comunidade onde estão situados os cinco equipamentos.
Cada cozinha conta com uma equipe de 13 pessoas, entre cozinheiro, nutricionista, auxiliares de cozinha e uma articuladora de ação comunitária. O cardápio, diversificado, é elaborado semanalmente pelos nutricionistas. “Muitas crianças que se alimentam aqui não gostavam de comer verduras, mas agora elas adoram, comem tudo”, relata a nutricionista, Maria das Graças Camarinho Belinoti, responsável pela Cozinha Comunitária do Taipa. Entre estas crianças está Mirela Hermenegildo, de 12 anos, que estuda no período da manhã na Escola Municipal Duque de Caxias, no Costa e Silva, e todos os dias almoça na cozinha. “Minha mãe percebeu que eu estou mais atenta aos estudos. Ale disso, a comida é muito gostosa”, conta a menina.
Refeições equilibradas – Os alimentos utilizados pelas Cozinhas Comunitárias são oriundos do Banco de Alimentos do Governo Municipal, de acordo com a coordenadora de Segurança Alimentar e Nutricional da Sedes, Hellen de Fátima Eugênio. “As refeições são elaboradas de maneira equilibrada e buscam suprir as necessidades nutricionais das famílias”, diz. Feijão, salada, arroz, carne, frango, macarrão (alho e óleo ou ao sugo), além de sucos de frutas e sobremesa, são alguns dos pratos que compõem o cardápio, servido de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h40.
Creusa Félix, 63 anos, foi uma das primeiras a frequentar a cozinha do Costa e Silva. “Nem todo dia eu tinha o que comer. Agora, eu tenho uma alimentação certa, boa e gostosa”, comemora. Dona Creusa, como é conhecida, afirma que até a sua pressão, que é alta, não apresentou mais alterações, e os exames de sangue mostraram que as taxas de colesterol e a glicemia estão equilibradas.
Articulação – Os articuladores das Cozinhas Comunitárias têm papel fundamental para que estas famílias continuem tendo acesso a uma alimentação saudável. Quase todos os dias, eles vão às 200 residências que são beneficiadas pelo projeto, para acompanhar de perto a situação dos moradores. “Caso alguém da família falte, a gente vai lá para saber o que está acontecendo e faz com que ele volte a freqüentar a cozinha”, conta a articuladora do Costa e Silva, Wanda Moura, que também conta com o apoio dos agentes de saúde da USF local.
Maria Aparecida, 28 anos, é uma das gestantes acompanhadas pela articuladora Wanda. Ela, assim como Ana Carla, também cuida sozinha dos filhos, e está à espera do terceiro, que deve nascer em janeiro de 2013. “Na semana passada, eu e meu filho de três anos estávamos doentes e não fomos à cozinha. Wanda foi à minha casa perguntar o que estava acontecendo, me ajudou e eu voltei para lá. Meus filhos comem muito bem. É tudo muito limpo e bem organizado,” conta Maria Aparecida.