João Pessoa 17/08/2018 09:06Hs

Início » Notícias » Dez capitais podem decidir no 1º turno

Dez capitais podem decidir no 1º turno

Na reta final da corrida eleitoral, as pesquisas de intenção de voto mostram que a eleição deste ano será bastante disputada. As sondagens mais recentes indicam que em apenas 10 das 26 capitais a eleição poderá ser definida no primeiro turno. Situação diferente à de 2008, quando 11 tiveram segundo turno. Já em oito capitais os candidatos aparecem em situação de empate técnico.

A disputa em Boa Vista (RR) é uma das mais discrepantes – Teresa Surita (PMDB) tem 54% na intenção de voto, de acordo com o Ibope, enquanto o segundo colocado, Mecias de Jesus (PRB), conta com 19%. Em Manaus (AM), a corrida é a mais disputada. Os dois primeiros colocados – Arthur Virgílio (PSDB) e Vanessa Grazziotin (PC do B) – aparecem numericamente empatados, com 29% das intenções de voto.

Capitais consideradas “chaves” para os grandes partidos, como Porto Alegre (RS) e Belo Horizonte (MG), também assistem a uma corrida cada vez mais acirrada pelos votos que podem selar o certame.

Na capital gaúcha, a eleição que se pronunciava muito acirrada transformou-se em corrida desenfreada dos adversários para evitar que o prefeito José Fortunati (PDT) conquiste o segundo mandato já no próximo domingo. Fortunati partiu de situação de empate técnico com Manuela D’Ávila (PC do B) no início da campanha para pontuações que lhe autorizam a sonhar com vitória no primeiro turno. Tanto que a concorrente mais próxima passou a pedir, em sua propaganda e também nos debates, que o eleitor a leve para um novo debate, no segundo turno, com tempos iguais na televisão.

Na mais recente, do Ibope, realizada entre os dias 25 e 27, Fortunati, que tinha 38% em 20 de julho, estava com 47%, e liquidaria a eleição por ter 56% dos votos válidos. Ao mesmo tempo, Manuela caía de 30% na largada para 24%.

Minas. A uma semana da eleição, os candidatos que lideram a disputa em Belo Horizonte deram início a uma corrida pelas regionais da capital em busca de objetivos opostos, com várias carreatas e visita na casa dos eleitores indecisos. O ex-ministro Patrus Ananias (PT) – com 32% segundo o último Datafolha – busca tirar votos do prefeito Marcio Lacerda (PSB) – que tem 45% e disputa a reeleição – para tentar forçar um segundo turno, enquanto o chefe do Executivo procura consolidar a liderança apontada nas pesquisas de intenção de votos na esperança de liquidar a fatura já no próximo dia 7. E, para alcançar os objetivos, as campanhas indicam uma intensificação de atos classificados como “eleitoreiros” por ambos os lados.

No fim de semana, o petista já partiu para o ataque contra as nomeações de 632 profissionais de Saúde, publicadas no Diário Oficial do município de sábado, 29.

Fonte: Estadão