João Pessoa 26/05/2018 06:29Hs

Início » Notícias » Dívida pública cresce 2,49% em novembro, diz Tesouro

Dívida pública cresce 2,49% em novembro, diz Tesouro

Endividamento público passou de R$ 2,15 trilhões em outubro para R$ 2,20 trilhões no mês passado

divida públicaDívida pública federal inclui os endividamentos interno e externo do governo (Marcelo Sayão/EFE/VEJA)

O estoque da dívida pública federal (DPF), que inclui os endividamentos interno e externo do governo, subiu 2,49% em novembro, atingindo 2,208 trilhões de reais. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo Tesouro Nacional. Em outubro, o estoque estava em 2,155 trilhões de reais. A correção de juros no estoque da DPF foi de 19,01 bilhões de reais no mês passado. De acordo com o governo, o aumento da dívida pública no mês passado está relacionado com a emissão líquida de títulos públicos no valor de 29,651 bilhões de reais.

Em novembro, a Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) subiu 2,40% e fechou o mês em 2,100 trilhões de reais. Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) ficou 4,23% maior, somando 108,95 bilhões de reais em novembro.

Os estrangeiros reduziram a aquisição de títulos do Tesouro Nacional em novembro. A participação dos investidores estrangeiros no estoque da DPMFi caiu de 20,38% em outubro para 20,07% em novembro, somando 421,42 bilhões de reais. Os Fundos de Investimentos também diminuíram a fatia de 20,98% para 20,63%. Por outro lado, a categoria das instituições financeiras teve alta na participação do estoque da DPMFi de 26,34% em outubro para 27,26% em novembro. Na mesma direção, as seguradoras tiveram crescimento na participação de 4,11% para 4,17%.

A vencer – A parcela da DPF a vencer em 12 meses em manteve constante em novembro em 24,16%, mesmo patamar de outubro, segundo o Tesouro. Com isso, o indicador ficou dentro da banda estabelecida pelo Plano Anual de Financiamento (PAF), que varia de 21% a 25%. O prazo médio da dívida caiu de 4,59 anos em outubro para 4,51 anos em novembro, ligeiramente acima do teto do PAF, que é de 4,5 anos.

(Com agência Reuters e Estadão Conteúdo)