João Pessoa 18/07/2018 05:15Hs

Início » Notícias » É HEXA! Espectros supera o Mariners com virada no fim e é campeão do NE

É HEXA! Espectros supera o Mariners com virada no fim e é campeão do NE

Com chute salvador convertido a 24 segundos do fim do jogo, disputado na casa do rival, João Pessoa Espectros vence pela 6ª vez a Superliga NE de Futebol Americano

espectro é campeãoJoão Pessoa Espectros (de vermelho) não sabe ainda o que é perder o título da Copa Nordeste de Futebol Americano

A hegemonia nunca esteve tão ameaçada como na temporada de 2015. Nunca um rival como o Recife Mariners ameaçou tanto a supremacia do João Pessoa Espectros como desta vez. Antes da grande final da Superliga Nordeste de Futebol Americano, disputada neste domingo, a equipe pernambucana já tinha vencido o time paraibano em duas oportunidades. E a final ainda era na Arena Pernambuco, em Recife, a casa do Mariners. Mas nenhum time chega a uma final como pentacampeão nordestino de futebol americano por acaso. Ninguém consegue passar tanto tempo como campeão sem ter a capacidade de se superar. Sem ter a capacidade de surpreender. E de brilhar no momento decisivo. E foi isto o que aconteceu na arena de Copa do Mundo, que abriu suas portas para o futebol americano. Numa virada incrível, emocionante, de arrepiar fãs e curiosos que assistiram a partida, com o lance decisivo sendo executado quando o cronômetro estava a apenas 24 segundos de ser zerado, o Espectros mostrou porque é o melhor time da história do esporte no Nordeste. Venceu por 16 a 14 e comemorou o sexto título nordestino (o terceiro seguido vencido em cima do Mariners).

Para se ter uma ideia, o João Pessoa Espectros nunca perdeu um edição de Superliga Nordeste que tenha disputado. Venceu em 2009, 2011, 2012, 2013, 2014 e agora em 2015. Poderia, talvez, ser hepta, porque em 2010 a equipe não participou da competição. Mas isto é especulação. O fato mesmo é que o título de 2015 dá ao João Pessoa Espectros o direito de disputar mais uma vez o título brasileiro, e mais uma vez contra o Coritiba Crocodiles, rival nos dois últimos anos. Nas duas últimas vezes, foi a equipe paranaense a campeã. O João Pessoa Espectros, assim, vai tentar vencer a competição nacional pela primeira vez.

joão pessoa espectros, recife mariners, superliga nordeste, futebol americano (Foto: Teresa Ferreira / João Pessoa Espectros)Foi um jogo duro, decidido nos segundos finais (Foto: Teresa Ferreira / João Pessoa Espectros)

Haja coração, amantes do futebol americano

Foi um jogo emocionante desde o início. E coube ao Recife Mariners abrir o placar, ainda no início do jogo. Depois de um passe de mais de 25 jardas de Drew Banks, Ricardo Teixeira recebeu dentro da zona de pontuação e fez o primeiro touchdown do jogo. No lance seguinte, o time pernambucano acertou o chute extra e fez 7 a 0. A partida seguiu inalterada por quase todo o primeiro tempo (que corresponde aos dois primeiros quartos de duelo). Só quando faltava 50 segundos para o fim do segundo quarto é que o placar foi novamente modificado. E desta vez a favor dos paraibanos. Dantas fez um passe de 12 jardas para Vítor Ramalho sem dificuldade fazer o touchdown do Espectros. E com o ponto extra convertido, o jogo foi para o intervalo com tudo igual no placar.

O João Pessoa Espectros voltou melhor no terceiro quarto. E virou o placar logo na primeira jogada. E que jogada. Primeiro, Dantas fez um lançamento de 50 jardas para Massu, que colocou o Espectros a 20 jardas de uma nova pontuação. Na jogada seguinte da campanha, o Mariners fez uma falta, que foi punida com avanço de 15 jardas do rival. E tão perto da linha de pontuação, Dantas fez um lançamento curto para o touchdown de Antônio. O problema do Espectros, e este detalhe faria o jogo ser mais do que dramático nos minutos finais, é que o time não conseguiu marcar o ponto extra, deixando o jogo em 13 a 7.

Começou o último quarto da partida. E quando o João Pessoa Espectros fez uma interceptação num momento chave do duelo, parecia que a vitória estava encaminhada. Engano. Pouco depois, foi a vez do Mariners devolver a interceptação. E desta vez, o time pernambucano só parou em mais um touchdown. Drew Banks fez um lançamento curto e Ricardo Teixeira empatou. O time de Pernambuco, em seguida, fez o ponto extra, deixando o jogo em 14 a 13.

joão pessoa espectros, recife mariners, superliga nordeste, futebol americano (Foto: Teresa Ferreira / João Pessoa Espectros)Durante a temporada de 2015, o Mariners venceu o Espectros duas vezes, mas na final prevaleceu a supremacia paraibana (Foto: Teresa Ferreira / João Pessoa Espectros)

A partir daí, foi adrenalina pura. O Espectros desperdiçou sua primeira chance de ataque após ficar atrás do placar. O Mariners, então, foi para o ataque faltando sete minutos para o fim do jogo, numa campanha que durou cinco longos minutos até que o Espectros conseguiu recuperar a posse de bola, voltando ao ataque faltando dois minutos para o fim.

O time pessoense tentou de tudo para entrar na área defensiva do rival, mas com pouco sucesso. Na quarta tentativa para avançar, faltando apenas 30 segundos para o fim do jogo, o João Pessoa Espectros optou pelo chute, cuja conversão vale três pontos. Era um chute difícil, de mais de 40 jardas. Mas Aranha se apresentou para o momento decisivo. E acertou, num chute bonito, que tinha direção, que valia título nordestino, que tinha o poder de virar o duelo para 16 a 14.

Festa paraibana na Arena Pernambuco. Porque a partir daí, com pouquíssimo tempo para o fim, a equipe do Mariners não teve forças para uma nova virada. Foi só o tempo do cronômetro zerar para o João Pessoa Espectros fazer a sua sexta festa como campeão do Nordeste. A bola oval, ao menos no Nordeste, segue com as cores vermelha e preta da Paraíba.

joão pessoa espectros, recife mariners, superliga nordeste, futebol americano (Foto: Amauri Aquino / GloboEsporte.com/pb)
João Pessoa Espectros ao fim do jogo: bandeira da Paraíba e troféu de campeão nordestino de futebol americano
(Foto: Amauri Aquino / GloboEsporte.com/pb)
G1-PB