João Pessoa 26/05/2018 17:49Hs

Início » Notícias » Enterrado corpo da quinta vítima de acidente entre trem e ônibus na PB

Enterrado corpo da quinta vítima de acidente entre trem e ônibus na PB

Adolescente de 15 anos morreu após passar quatro dias no hospital. Outras quatro pessoas seguem internadas no Hospital de Trauma.

trem doisFoi enterrado neste sábado (5) o corpo da quinta vítima do acidente entre um trem e um ônibusna cidade de Santa Rita, na Grande João Pessoa. A adolescente Josivalda Nascimento passou quatro dias internada no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, mas morreu na madrugada desta sexta-feira (4). Outras três pessoas morreram no local do acidente e uma também no hospital.

A colisão aconteceu na passagem de nível de Várzea Nova, distrito de Santa Rita, no final da tarde de segunda-feira (29). As imagens de uma câmera de segurança instalada um estabelecimento comercial gravaram o  acidente. No vídeo é possível ver desde o momento em que o ônibus para sobre os trilhos e quando é atingido pelo trem.

Parentes, vizinhos, amigos e colegas de escola foram até a Associação de Moradores de Tambay, em Bayeux, onde o corpo foi velado. Pouco antes da saída do caixão para o cemitério, um dos irmãos da vítima passou mal e teve que ser socorrido. O corpo foi enterrado no Cemitério Senhor da Boa Morte, também em Bayeux.

“Tá um vazio dentro de mim. Eu não tenho nem palavras para falar mais. O pai dela tá muito perturbado. Eu tenho que dar força a ele, se for somente estar chorando e maldizendo, aí ele vai ficar mais desesperado”, lamentou a avó da menina, Teodonira Augusto Medeiros.

Outras quatro pessoas seguem internadas no Hospital de Trauma, sendo três delas em estado regular. O quarto paciente tem o estado de saúde considerado grave, porém estável.

“Infelizmente a minha família, a família de Cleia, a família de Josi, a família dos demais perderam entes mutilados. Foram mutilados. Em cima de imprudências, em cima de falta de segurança”, comentou José Flávio Silva, que é irmão de outra vítima do acidente, Cleia Percila do Nascimento Silva, de 39 anos.

Depoimentos
O motorista do ônibus coletivo e os maquinistas do trem foram ouvidos pela Polícia Civil na tarde da terça-feira. De acordo com o delegado Antonio Farias, ocondutor do veículo relatou que teve medo de dar ré para sair da linha férrea e causar outro acidente. “Ele disse que quando olhou para esquerda viu que o trem se aproximava e o trânsito estava obstruído. Buzinou, buzinou, mas não teve jeito”, acrescentou o delegado.

De acordo com Antônio Farias, o motorista relatou que o trânsito estaria obstruído por uma motocicleta e dois veículos e temeu manobrar de macha ré, pois poderia causar outro acidente. Após prestar depoimento, o  motorista foi liberado e segundo o delegado, ele e os maquinistas devem responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e vão aguardar o andamento do processo em liberdade.

Velório e enterro das vítimas
Os corpos das primeiras quatro vítimas foram velados e enterrados entre a tarde da terça-feira e a manhã desta quarta-feira. A professora Edilane da Silva Macedo Alves, de 49 anos, foi velada em um templo da Igreja Batista, que fica em Várzea Nova. Edilane era casada e tinha dois filhos e dois netos.

O corpo da zeladora Josefa Maria de Lima, de 52 anos, foi velado também nesta terça -feira (1º) em um Salão do Reino das Testeminhas de Jeová, também em Santa Rita. Josefa havia sido demitida da escola em que trabalhava no mesmo dia do acidente.

A doméstica Adriana Castro Alves, de 33 anos, foi velada na casa onde morava com o marido e os dois filhos. Todas as três mulheres foram enterradas no final da tarde, em cemitérios de Santa Rita.

O corpo da atendente de farmácia Cleia Percila do Nascimento Silva, de 39 anos, foi velado na casa da mãe dela, em Bayeux, também na Região Metropolitana de João Pessoa, e o enterro dela aconteceu na manhã desta quarta-feira (2), também em Bayeux.

Flagrantes
A equipe da TV Cabo Branco fez vários flagrantes na passagem de nível onde o acidente aconteceu na segunda. As imagens mostram ônibus, congestionamento de veículo e até ambulância do Samu parados sobre a via férrea. Pela passagem de nível o trem de passageiros e o VLT passam a cada uma hora no sentido João Pessoa – Santa Rita e a cada uma hora no sentido Santa Rita – João Pessoa.

A CBTU informou que desconhece na lesgislação a obrigação de instalar cancelas no local, e que a legislação preconiza o uso da sinalização luminosa e da Cruz de Santo André, como é sinalizado no local. O professor e especialista em mobilidade urbana Nilton Pereira comentou as imagens gravadas pela TV Cabo Branco. (Veja no vídeo acima).

Local do acidente

O acidente
Com o impacto da batida, três mulheres que estavam dentro do ônibus foram jogadas para fora do veículo e morreram imediatamente e uma mulher foi socorrida mas morreu no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, durante a madrugada. Nenhum passageiro do trem se feriu. Em nota, a CBTU lamentou o acidente e informou que vai abrir sindicância para apurar os fatos. A prefeitura de Santa Rita decretou cinco dias de luto oficial na cidade.

Em entrevista à TV Cabo Branco, o gerente operacional da empresa Santa Rita, proprietária do ônibus que se envolveu na colisão, Luiz Carlos André, lamentou o acidente e disse que a empresa vai colaborar com as investigações da polícia para esclarecer o caso.

Acidente entre trem e ônibus em Santa Rita, na Paraíba (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Acidente entre trem e ônibus em Santa Rita, na Paraíba (Foto: Walter Paparazzo/G1)

G1-PB