João Pessoa 21/07/2018 17:21Hs

Início » Notícias » Estudante da PB arrecada dinheiro com camisas para ver banda

Estudante da PB arrecada dinheiro com camisas para ver banda

paramorecamisaUma estudante da Paraíba decidiu vender camisas para arrecadar dinheiro e poder realizar o sonho de ver a banda favorita, Paramore, tocar ao vivo. O que ela não esperava era ter a oportunidade de presentear os próprios integrantes da banda com as camisas, que tem o design feito por ela. Já em São Paulo para o show, a jovem descobriu que ganhou uma promoção e poderá conhecer os ídolos pessoalmente.

Andressa Silva tem 23 anos e cursa Rádio e TV na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Ela perdeu os shows que a banda fez no Brasil em 2008 e 2011 e resolveu que não deixaria passar a oportunidade de novo em 2013. Desde que soube do show, ela começou a fazer as camisas, inspiradas na banda, para comprar a passagem e o ingresso.

“Eu faço desenhos. Aproveitei isso e fiz as camisas e alguns trabalhos extras para pagar o ingresso. Essas foram as primeiras camisas que confeccionei. Antes, só tinha feito bloquinhos para vender para amigos”, explicou Andressa.

O desenho da camisa é o símbolo usado pela banda Paramore, com três barras que representam cada um dos integrantes. Andressa usou letras de músicas do grupo e se inspirou nos próprios desenhos para personalizar a peça.

Ao todo, Andressa mandou confeccionar 25 camisas. Duas vão ficar com ela mesma, sete já foram vendidas em João Pessoa, 13 vão ser levadas para serem vendidas na fila e três vão ser um presente para a banda graças a um concurso cultural.

“Quando cheguei em São Paulo descobri que ganhei duas promoções. Um dos prêmios foi uma guitarra autografada. O outro foi um concurso cultural, que eu tinha que fazer uma foto criativa e original inspirada na música ‘Still Into You’. Três ganharam e eu estava entre eles”, contou Andressa.

Agora ela vai poder dar o presente aos ídolos pessoalmente, nesta terça-feira (30). “Eu já queria entregar a camisa a eles. Elas podiam chegar até eles por qualquer caminho, eu podia entregar a qualquer pessoa, para eles terem uma lembrança da luta que foi para eu ir vê-los”, disse.

Fonte: G1PB