João Pessoa 15/08/2018 01:29Hs

Início » Notícias » ‘Eu já fui julgado’, diz Lula sobre mensalão na Argentina

‘Eu já fui julgado’, diz Lula sobre mensalão na Argentina

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que já foi ‘julgado’ pelo mensalão em visita à Argentina ontem (17). A declaração foi feita em entrevista ao jornal argentino “La Nación”.

A afirmação do ex-presidente refere-se a eleição de sua sucessora indicada Dilma Rousseff e ao seu alto índice de aprovação no final de seu mandato.

“Eu já fui julgado [pelo mensalão]. A eleição da Dilma foi um julgamento extraordinário. Para um presidente com oito anos de mandato, sair com 87% de aprovação é um grande juízo” disse Lula em referência de acordo com pesquisa CNI/Ibope de dezembro de 2010.

O ex-presidente também afirma que não tem nenhuma preocupação sobre o julgamento do mensalão que está em fase final no STF (Supremo Tribunal Federal).

“Cada Poder, seja o Executivo, o Legislativo ou o Judiciário têm suas próprias responsabilidades e cada um deve cumprir com elas”, conclui.

Questionado pelo jornal “La Nacion” se ele faz alguma autocrítica após a condenações de aliados pelo julgamento, Lula diz que por ser ex-presidente ainda não deve emitir opinião sobre o assunto.

“Não tenho me manifestado sobre esse processo, primeiro porque naquela época [do escândalo do mensalão] era presidente da República e acredito que um ex-presidente não pode sobre a Suprema Corte. Principalmente quando o processo está em análise. Vamos esperar que termine o processo e então, com certeza, poderei emitir minha opinião”, responde Lula.

Lula viajou para Mar del Plata (410 km de Buenos Aires) para participar de uma palestra a empresários argentinos. O ex-presidente também afirmou que não tem mais “ambições políticas”.

Segundo o ex-presidente, seus planos são ajudar o governo Dilma e contribuir para a vitória do PT na eleição municipal de São Paulo. O ex-presidente disse ainda que Brasil e Argentina fizeram mais pelo desenvolvimento da América do Sul nos últimos dez anos do que os “outros” governantes em 50 anos.

Ao comentar a crise econômica no mundo desenvolvido, disse que aqueles que haviam sido “arrogantes” e dado “lições de moral” deveriam pedir conselhos hoje aos países emergentes.

Além do encontro com empresários, o ex-presidente também almoçou com a presidente Cristina Kirchner.

Fonte: Folha de S. Paulo