João Pessoa 21/07/2018 13:40Hs

Início » Notícias » Inflação acelera 1,26% em junho e é a maior para o mês em 23 anos

Inflação acelera 1,26% em junho e é a maior para o mês em 23 anos

Greve dos caminhoneiros puxou - Alimentos impactaram - Gasolina e etanol também

Greve dos caminhoneiros pressiona preços e inflação acelera em junhoTânia Rêgo/Agência Brasil

Refletindo os efeitos da greve dos caminhoneiros, a inflação oficial, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), acelerou 1,26% em junho. Foi o maior resultado para o mês desde 1995, quando registrou 2,26%.

Em maio, a inflação havia acelerado 0,40%. Já em junho do ano passado, o país havia registrado deflação de 0,23%. Os dados foram divulgados nesta 6ª feira (6.jul.2018) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

NO ANO

Com a aceleração de junho, a inflação acumulada em 12 meses também apresentou forte avanço e alcançou 4,39%. No acumulado até maio, registrava apenas 2,86%.

O índice, agora, não está mais abaixo do piso da meta do governo. Em 2018, o Banco Central persegue a meta de 4,5% para inflação, com tolerância de 1,5 ponto percentual para baixo (3%) ou para cima (6%).


Em 2017, a inflação seguiu uma trajetória de queda em relação a 2016, e fechou o ano abaixo do piso da meta pela 1ª vez desde a criação do plano de metas, em 1999, durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

Já no acumulado do 1º semestre deste ano, o IPCA registra alta de 2,60%, também acima do verificado no mesmo período do ano anterior, de 1,18%.

GREVE DOS CAMINHONEIROS

A paralisação dos caminhoneiros, que prejudicou o abastecimento no país, exerceu forte pressão sobre os preços no mês passado. Os grupos Alimentação e Bebidas, Habitação e Transportes, que concentram 60% das despesas das famílias, foram os mais impactados.

Em Alimentação e Bebidas houve avanço de 2,03% nos preços, contra 0,32% no mês anterior. Desde janeiro de 2016, o grupo não apresentava taxas acima de 2,00%. Entre os produtos que apresentaram maior alta estão batata-inglesa (17,16%), leite longa vida (15,63%), frango inteiro (8,02%) e carnes (4,6%).

Os preços dos Transportes subiram 1,58%, puxados pelos combustíveis. A gasolina ficou 5% mais cara no período e o etanol, 4,22%. Na análise do IBGE, a queda de 5,66% no preço do diesel não teve impacto expressivo sobre o índice.

Já Habitação avançou 2,48%. O principal destaque do grupo foi a energia elétrica, que subiu 7,93% em junho com a adoção de bandeira vermelha patamar 2 no mês.

ENTENDA O IPCA

O IPCA mede a inflação para as famílias com renda mensal de 1  40 salários mínimos. Na pesquisa, são analisadas as famílias que vivem nas regiões metropolitanas de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Salvador, Fortaleza, Vitória, Belém, Brasília, e nos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luíz e Aracaju.

Poder360