João Pessoa 23/06/2018 11:43Hs

Início » Notícias » Islândia surpreende, vence a Inglaterra e vai às quartas

Islândia surpreende, vence a Inglaterra e vai às quartas

Triunfo por 2 a 1 garante ao menor time desta Euro um duelo com os anfitriões franceses na próxima fase

islandia vence inglaterraO menor país da Euro 2016 está nas quartas de final. Nesta segunda-feira, os 330 mil cidadãos islandeses foram à loucura com a inesperada vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra, em Nice. O English Team até saiu na frente no início, com Rooney, aos quatro minutos, mas a Islândia virou ainda na primeira etapa com Ragnar Sigurdsson e Sigthorsson e conseguiu segurar o placar.

Astro de Game Of Thrones, técnico-dentista:
conheça curiosidades da Islândia

Na próxima fase, os estreantes na competição terão pela frente ninguém menos que os anfitriões, a França. O duelo acontece no domingo, às 16, no Stade de France, em Paris, com transmissão ao vivo da Band.

OS GOLS

Rooney (Inglaterra) – 4 minutos do 1º tempo – Sturridge dá belo lançamento para Sterling, que chega antes do goleiro Halldorson e é derrubado. Na cobrança do pênalti, Rooney bate firme, rasteiro, no canto direito do camisa 1 islandês.

R. Sigurdsson (Islândia) – 6 minutos do 1º tempo – Durou pouco a alegria inglesa. Em jogada característica da Islândia, Gunnarsson cobra lateral direto na área, Arnason ganha a disputa pelo alto e cabeceia para Ragnar Sigurdsson, que finaliza de dentro da pequena área para marcar.

Sigthorsson (Islândia) – 18 minutos do 1º tempo – Islandeses trocam passes na intermediária e a bola chega para Bödvarsson, que passa para Sigthorsson na entrada da área. O camisa 9 bate rasteiro, no canto. Joe Hart cai na bola, chega a tocá-la, mas falha e não consegue evitar o gol.

ANÁLISE REPÓRTER DO PORTAL DA BAND

Que jogo, que surpresa! Quando a Inglaterra saiu na frente logo aos quatro minutos, deu a impressão de que seria um passeio do English Team. Mas o gol de Sigurdsson dois minutos depois alterou completamente o panorama do duelo: os ingleses voltaram a ter a obrigação de buscar o resultado e a Islândia voltou a ter sua postura defensiva. Assim que Sigthrosson marcou na falha de Hart, a Inglaterra desmoronou. Continuou com a posse de bola, mas esbarrou na própria falta de criatividade e no nervosismo. Os britânicos até criaram algumas oportunidades com Kane e Delle Alli, que foram originadas mais por circunstâncias da partida do que por mérito. Quem esteve mais perto de ampliar foi a Islândia. Aos nove da etapa complementar, Sigurdsson quase anotou o seu segundo na partida de bicicleta. Aos 38, o capitão Gunnarsson puxou contra-ataque só parou na defesa de Hart. Para a sorte do menor país da Euro, as chances no final não fizeram falta.

O CRAQUE

R. Sigurdsson – Além de ter marcado o gol do empate em um momento fundamental da partida e de quase ter feito um golaço de bicicleta, foi impecável na parte defensiva, assim como todo o time islandês. O ponto alto de sua participação atrás foi um carrinho perfeito que desarmou chance clara de Vardy em um contragolpe. É difícil escolher um único nome neste time muito coeso coletivamente.

O PERNA DE PAU

Kane – Concluiu sua péssima Eurocopa com uma atuação que merece ser esquecida. O camisa 9 inglês foi inoperante. Não finalizou, não criou, não acertou as bolas paradas. Teve uma grande chance de cabeça na etapa complementar, mas pegou mal na bola e praticamente recuou. Mas Kane não foi o único inglês que decepcionou: Sterling, Rooney e Hart também deixaram bastante a desejar.

Band