João Pessoa 20/07/2018 05:06Hs

Início » Notícias » MP sobre criação da Guarda Militar Temporária gera polêmica entre deputados

MP sobre criação da Guarda Militar Temporária gera polêmica entre deputados

A sessão desta quinta-feira (17) na Assembleia Legislativa girou em torno da Medida Provisória, publicada no Diário Oficial pelo governo do Estado, criando, no âmbito da Polícia Militar da Paraíba, o Corpo Voluntário denominado de Guarda Militar Temporária – GMT.,

Conforme a MP, a Guarda Militar Temporária destina-se, em caráter experimental, à execução das atividades típicas de policiamento ostensivo de segurança externa em estabelecimentos penais, socioeducativos e, excepcionalmente, em atividades especiais ou extraordinárias de interesse público no âmbito exclusivo da PMPB.

Para o líder da oposição, Bruno Cunha Lima (PSDB), acusou o governador Ricardo Coutinho de estar tentando fazer uma milícia armada.

“Ele atenta contra a inteligência da Paraíba ao querer criar uma polícia paralela. Isso é inaceitável e vamos nos manifestar contra. Vamos acionar o Ministério Público, o Tribunal de Contas, o Ministério Público do trabalho por conta da precarização das funções militares do Estado. Isso é inadmissível isso”, destacou.

O deputado quis saber ainda qual seria o regime da contratação dessas pessoas porque não são estatutários e muito menos concursados.

“É impossível fazer segurança pública sem concurso público. Não se pode chamar o feito a ordem através de pessoas que não são militares”, advertiu o deputado lembrando ainda dos concursados que ainda não foram chamados para o exercício da função na Polícia Militar.

O líder do governo, Hervázio Bezerra (PSB), minimizou as observações da oposição e disse que a bancada governista iria se pronunciar sobre a MP no momento oportuno, pois o governo não tem o que temer.

“Eu não tenho nenhum dúvida de que este governo tem mais acertos que erros. Isso quem reconhece são os demais governadores do país. O governador faz milagres aqui na Paraíba. Esse milagre chama-se competência, planejamento e responsabilidade”, explicou.

Segundo ele, a oposição fica com o pé na criação de uma guarda quando deveria falar sobre o pedido de intervenção do governo à barreira do Cabo Branco.

“Eu pensava que eles iriam trazer hoje aqui para Casa essa discussão. A barreira a cada dia se desmorona e aumenta a nossa vergonha. Eles deveriam engrossar o coro para que o governador Ricardo Coutinho interceda onde a inoperância de Cartaxo está marcada na cidade”, observou o líder governista.

Paraíba Online