João Pessoa 20/06/2018 09:29Hs

Início » Notícias » No Palestra, Palmeiras e São Paulo tentam encerrar jejum em clássicos

No Palestra, Palmeiras e São Paulo tentam encerrar jejum em clássicos

Apesar de estarem tranquilas na tabela, equipes ainda não venceram rivais em 2015

são paulo e palmeirasDuelo de veteranos: Rogério Ceni e Zé Roberto são destaques do clássico entre São Paulo e Palmeiras no Allianz Parque

Palmeiras e São Paulo não estão nada preocupados com classificação – a equipe alviverde já está matematicamente garantida nas quartas de final do Campeonato Paulista e o rival precisa de apenas um ponto em quatro rodadas para avançar -, mas encaram o duelo desta quarta-feira, no Allianz Parque, como a chance ideal para resgatar a confiança e encerrar um jejum. Apesar das posições tranquilas na tabela, nenhuma das equipes venceu clássicos em 2015. O jogo que terá início às 22h (de Brasília) será a última chance de palmeirenses e são-paulinos de bater um rival na primeira fase do Estadual e entrar com moral na etapa decisiva.

Além de ter perdido para Corinthians e Santos neste ano, o Palmeiras não vence um clássico há dez partidas – o último foi justamente contra o São Paulo, no Paulistão do ano passado. Ainda assim, o técnico Oswaldo de Oliveira garante não estar preocupado com o retrospecto contra os grandes. “Eu entro tranquilo, mas cada jogador tem uma reação. Se ganharmos, ótimo, vai ter uma repercussão maravilhosa. Se não ganhar, vai continuar essa coisa em cima do clássico, é normal”. O treinador do Palmeiras aguarda a recuperação dos argentinos Allione e Tobio. O mais provável é que apenas o zagueiro Tobio seja titular, ao lado de Victor Hugo, destaque nas últimas partidas.

A última vitória do São Paulo em clássicos aconteceu no fim do Brasileirão do ano passado – 1 a 0 contra o Santos. Em 2015, o time já perdeu duas vezes para o Corinthians e empatou com o Santos, mas vem de quatro vitórias seguidas e espera manter o bom momento antes da partida decisiva contra o San Lorenzo, em Buenos Aires, que pode encaminhar uma vaga na segunda fase da Libertadores. “Ganhar do Palmeiras é importante para dar moral e pensar no San Lorenzo. Uma vitória pode nos ajudar muito”, comentou o volante Denilson, que completará 200 jogos pelo clube. O técnico Muricy Ramalho definiu o time no esquema 4-4-2, com Michel Bastos e Paulo Henrique Ganso na armação e Luis Fabiano e Alexandre Pato no ataque. Com o volante Souza na seleção brasileira, Hudson vira titular.

O esdrúxulo regulamento do Paulistão também serviu para apimentar o duelo desta noite, o primeiro entre as equipes na nova casa do Palmeiras. Caso os três grandes clubes da capital terminem na liderança de seus grupos (o que, muito provavelmente, ocorrerá) aquele com menor pontuação não poderá mandar a partida das quartas de final em São Paulo. O objetivo é evitar partidas de rivais na cidade no mesmo dia – os confrontos serão no dia 12 de abril – o que poderia resultar em episódios de violência entre as torcidas. Hoje, os três grandes estão próximos: Corinthians (já classificado após vencer a Portuguesa por 2 a 0 nesta terça-feira) tem 29 pontos, o São Paulo têm 26 e o Palmeiras, 24.