João Pessoa 18/06/2018 02:24Hs

Início » Notícias » Para cumprir metas, Governo Federal anuncia corte adicional de R$ 21,2 bi e vê queda de 3,05% no PIB

Para cumprir metas, Governo Federal anuncia corte adicional de R$ 21,2 bi e vê queda de 3,05% no PIB

dinheiro 0909O governo federal autorizou um bloqueio de adicional de gastos de R$ 21,2 bilhões no Orçamento de 2016, anunciou nesta terça-feira (22) o Ministério do Planejamento por meio do relatório de receitas e despesas do orçamento deste ano.

Esse valor se soma ao bloqueio de R$ 23,4 bilhões anunciado em fevereiro deste ano. Com isso, o corte total, na peça orçamentária, totaliza R$ 44,6 bilhões.

O novo bloqueio de gastos no orçamento deste ano visa cumprir a meta de superávit primário, isto é, a economia para pagar juros da dívida pública, de R$ 24 bilhões para o governo central – União, Previdência Social e Banco Central – fixada no orçamento aprovado pelo Congresso Nacional para este ano.

No mês passado, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, anunciou que enviaria ao Executivo um projeto de lei para abater até R$ 84,2 bilhões na meta fiscal do governo neste ano e, desta forma, permitir um rombo nas contas públicas de até R$ 60,2 bilhões em 2016. Entretanto, o documento não traz detalhes se o governo ainda pretende enviar esse projeto de lei ao Legislativo.

Produto Interno Bruto
Além de anunciar um corte adicional de gastos, o governo também passou a prever uma contração de 3,05% para o Produto Interno Bruto (PIB) neste ano. Até então, a estimativa oficial era de uma queda menor, de 2,9% para 2016.

 

Mesmo com essa revisão, a estimativa de contração do PIB neste ano ainda está melhor do que aquela feita pelo mercado financeiro. Na semana passada, os economistas dos bancos, ouvidos pelo Banco Central, previram um “encolhimento” de 3,6% para o PIB deste ano.

Inflação
O governo confirmou oficialmente, por meio do decreto de programação orçamentária, que a inflação deverá ficar acima do previsto anteriormente e que poderá estourar novamente o teto da meta de inflação deste ano – de 6,5%. Até então, consta uma previsão de inflação de 7,10%, valor que passou para 7,44% no relatório de receitas e despesas divulgado nesta terça-feira.

G1