João Pessoa 19/08/2018 08:03Hs

Início » Notícias » Pfizer, fabricante do Viagra, compra Allergan por US$ 160 bi

Pfizer, fabricante do Viagra, compra Allergan por US$ 160 bi

Trata-se do maior acordo na história do setor farmacêutico. Negociação permitirá que a Pfizer transfira sua sede legal dos Estados Unidos para a Irlanda

viagraPfizer é fabricante do Viagra, enquanto a Allergan produz o Botox

A farmacêutica Pfizer, fabricante do Viagra, fechou acordo para comprar a fabricante do Botox, Allergan, em transação avaliada em cerca de 160 bilhões de dólares, o maior negócio da história do setor. A Pfizer, com sede em Nova York, e a Allergan, sediada na Irlanda, disseram que os acionistas da Allergan receberão 11,3 ações da companhia combinada por cada papel detido. O acordo avalia as ações da Allergan em 363,63 dólares, ante preço de fechamento do papel de 312,46 dólares na sexta-feira.

Os acionistas da Pfizer terão a opção de receber uma ação da companhia combinada para cada papel em sua posse ou receber em dinheiro, desde que o total em espécie agregado a ser pago não seja menos de 6 bilhões de dólares ou mais de 12 bilhões de dólares.

O presidente-executivo da Pfizer, Ian Read, será presidente-executivo da companhia combinada, ao passo que o presidente da Allergan, Brent Sauders, será vice-presidente operacional, afirmaram as empresas nesta segunda-feira.

O acordo também permitirá que a Pfizer transfira sua base legal para a Irlanda em uma chamada “inversão” que reduzirá o nível de pagamento de impostos. Este aspecto tributário do negócio é visto como crítico. O nível de tributação corporativa dos Estados Unidos, de 35%, está entre os maiores do mundo, e se compara com o patamar de 12,5% da Irlanda.

Com o fechamento do negócio, previsto para o segundo semestre de 2016, as empresas disseram que a companhia combinada deverá manter o domicílio legal da Allergan na Irlanda. O Tesouro dos Estados Unidos, preocupado com a perda de receitas provenientes de tributos, tem tomado medidas para coibir acordos de inversão tributária, mas especialistas disseram que as investidas farão pouco para evitar que a Pfizer altere seu domicílio fiscal.

 

(Com Estadão Conteúdo)