João Pessoa 16/07/2018 01:01Hs

Início » Notícias » Porta Voz da prefeitura de Santa Rita, renuncia ao cargo e vai disputar as eleições de 2018

Porta Voz da prefeitura de Santa Rita, renuncia ao cargo e vai disputar as eleições de 2018

O Jornalista Marcos Cavalcanti revelou o verdadeiro motivo de sua saída da prefeitura Municipal de Santa Rita.

O agora, ex porta voz da (PMSR). Após ter renunciado ao cargo desde o dia 02 de Abril.

Colocou na noite desta quinta-feira em carta pública divulgada nas suas redes sociais o seu nome a disposição do partido (PDT), para disputar as eleições de 2018.

Marcos Cavalcanti exerceu a função de porta voz da prefeitura Municipal desde o início da era Panta.

Em contato com a nossa redação. Cavalcanti disse que a política pra ele não é uma aventura, é uma vocação, que está filiado ao (PDT), a 12 anos. E que está pronto pra este desafio.

“Vou descansar essa semana já que não tive férias, desde a última campanha, tivemos um trabalho intenso na secretária de comunicação, todos sabem que a gestão atual recebeu um verdadeiro tsunami para administrar. No entanto, esse descanso será curto já na próxima semana colocarei o pé na estrada. Concluiu.”

Veja a carta pública de Cavalcanti na íntegra.

CARTA PÚBLICA AO POVO DA PARAÍBA NESTA QUINTA-FEIRA 19 DE ABRIL DE 2018

Olá meus queridos irmãos e irmãs Paraibanos.

É com imensa satisfação que eu Marcos Cavalcanti, Jornalista, casado, natural da cidade de Santa Rita, passo a conversar com vocês através desta. Ao atentarmos para os noticiários que repercutem o nível escabroso em que se encontra o problema da corrupção na esfera pública brasileira (pense-se aqui: governos federal, estadual e municipal, empresários, entidades representativas, e partidos), o primeiro sentimento que se experimenta é de revolta e frustração. Sentimento que se dissemina na sociedade, colocando todos em estado de indignação, pois contradiz as expectativas que temos de uma sociedade justa, democrática e que tem na ideia de bem-estar comum um valor e um princípio básico. Podemos ver que em bora o reflexo de uma cultura na qual o País esteve mergulhado desde sempre, e com a qual, historicamente, foi mais ou menos tolerante. Surgir não sem tempo, um novo Brasil, um Brasil que passa a gozar de circunstâncias que raramente conseguiu experimentar em toda a sua história: são instituições relativamente fortes e independentes que apuram, e que denunciam crimes horríveis contra a dignidade e a honra do povo Brasileiro. O grande resultado disso é algo inédito: políticos e empresários que se sentiam à vontade para roubarem o que não lhes pertencia, independentemente de sua origem ou filiação partidária, estão sendo chamados a pagar por seus crimes. Não há dúvidas de que algo diferente está acontecendo em nosso país e que obviamente precisa ser comemorado. Mas, é apenas o início de uma nova era, e de um novo tempo. Como reza o nosso hino nacional que nunca tão atual foi:

“Se o penhor dessa igualdade Conseguimos conquistar com braço forte Em teu seio, ó Liberdade Desafia o nosso peito a própria morte! Ó Pátria amada Idolatrada Salve! Salve!” É preciso continuar com a luta, com coragem e ousadia sem medo ou temor algum. Diante disso, diante desse chamamento do feito a ordem com essa chama acesa no coração e com essa esperança batendo no peito venho por meio desta colocar o meu nome a disposição de todos os paraibanos para disputar nas próximas eleições um cargo ainda a ser definido com os diretórios Municipal e Estadual de nosso partido, o PDT. Um partido que temos filiados a 12 anos partido que foi muito importante para todos os avanços que tivemos nos ultimos anos na Paraíba com a nossa atuante vice Governadora Lígia Feliciano e com o deputado federal Damião Feliciano. O Nosso objetivo principal é lutar para que seja devolvido ao povo da Paraíba e do Brasil aquilo que é seu por direito, a qualidade de vida, a dignidade e a honra, o ser tratado com amor carinho e respeito pelo poder público em todas as suas instâncias. Uma Paraíba e um Brasil onde se priorize as pessoas e não as coisas. Uma Paraíba e um Brasil que possa dar aos seus filhos, oportunidades, uma Paraíba e um Brasil que possa ser protagonista por sua grandeza natural, e pela grandeza de seu povo. Uma Paraíba e um Brasil que cuide do seu meio ambiente que tenha um olhar especial para a mobilidade urbana. Uma Paraíba e um Brasil que respeite o direito ao contraditório que não torne réus em tribunais o cidadão de bem, e o profissional de imprensa que tem garantida pela constituição federal o direito a liberdade de expressão e o direito a informação. Vamos conversar, vamos avançar, vamos continuar acreditando no nosso País e na nossa Paraíba. Este é um momento oportuno para trazer essa questão para a experiência cotidiana mais próxima de nós. Para isso, também precisamos nos perguntar de que maneira nossas ações dialogam com as expectativas que temos de uma sociedade justa, democrática e que tem na ideia de bem-estar comum um valor e um princípio básico? Furar a fila da cantina, comprar um trabalho acadêmico, andar pelo acostamento, subornar um guarda para não ser multado, comprar um atestado médico, assinar a lista de presença por um colega, falsificar a carteirinha de estudante: as pequenas corrupções cotidianas também precisam ser condenadas e as circunstâncias que as favorecem, problematizadas. Caso contrário, corremos o risco de nos vermos marcados pelo cinismo que condenamos nos políticos e em seus cúmplices. É possível que, se mantivermos um debate franco e honesto sobre como a corrupção se instaura nas práticas cotidianas e conseguirmos, a partir dessa reflexão, estabelecer alternativas para coibi-las ou eliminá-las, possamos dar um passo exigente, mas significativo para a consolidação de uma sociedade mais honesta e mais justa. Vamos CONVERSAR?

Jornalista Marcos Cavalcanti