João Pessoa 18/07/2018 22:26Hs

Início » Notícias » “Prestaram homenagens a uma João Pessoa que não existe”, diz Anísio Maia

“Prestaram homenagens a uma João Pessoa que não existe”, diz Anísio Maia

No último dia 05 de agosto João Pessoa completou 432 anos. Como já nasceu na condição de cidade, a capital da Paraíba é a terceira cidade mais antiga do país. Na manhã desta terça-feira, 8, na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Anísio Maia (PT) afirmou que “homenagearam uma cidade que não existe. Deveríamos ter aproveitado o feriado para refletir sobre os problemas enfrentados pela cidade. Estamos perdendo aos poucos as nossas características mais celebradas.”

“Primeiro, nossa capital é conhecida por ser ponto mais oriental das Américas.  Porém, continuando como está, o farol do Cabo Branco será uma bela lembrança do passado já que a barreira continua sem nenhuma ação concreta de proteção”, destacou Anísio Maia.

 

“Depois, dizem que somos uma cidade verde e sustentável. Porém, os rios da cidade estão agonizando: o Jaguaribe foi parcialmente aterrado e teve seu curso alterado por um shopping e o Gramame recebendo desejos industriais. E há muito tempo já não somos cidade mais verde do país,” lamentou o parlamentar.

 

Na ocasião, o petista voltou a denunciar a situação de abandono do Centro Histórico: “Finalmente, o nosso Centro Histórico está entregue às baratas e à especulação imobiliária, o que é a mesma coisa. Temos dezenas de imóveis caindo aos pedaços e até os guias de turismo evitam para não passarmos vergonha. Até mesmo a casa em que viveu o homem que dá nome a cidade está abandonada.”

 

Ainda de acordo com Anísio Maia, ” não temos nenhuma política cultural em execução. Não temos uma biblioteca municipal, nenhum incentivo ao teatro, à cultura popular e às manifestações artísticas locais. Somos a única cidade histórica do país que não tem um museu. Ainda nem temos um Plano de Mobilidade Urbana. Tudo o que temos a comemorar, como as creches, moradias e UPA’s são as políticas do governo federal na gestão do PT, que já são atacadas pelo consórcio golpista”, concluiu Anísio Maia.

Anísio Maia