João Pessoa 22/09/2017 02:43Hs

Início » Notícias » Projetando assinatura de Raíssa na CPI da Lagoa, líder da oposição não vê “vingança” em apoio da vereadora

Projetando assinatura de Raíssa na CPI da Lagoa, líder da oposição não vê “vingança” em apoio da vereadora

“Ela quer que as investigações sejam ampliadas e acredita que o parlamento pode sim dar sua contribuição”, disse Bruno Farias

O líder da oposição na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), Bruno Farias (PPS), disse que não vê como vingança o ato de Raíssa Lacerda (PSD), correligionária do prefeito Luciano Cartaxo (PSD), analisar documentos referentes a investigação que apura irregularidades financeiras na obra da Lagoa, o que pode levar a vereadora da situação a assinar um requerimento que pode instaurar a CPI da Lagoa na Casa Legislativa da Capital. Para Farias, a nona assinatura – necessária para protocolar o requerimento – pode vir justamente de Raíssa.

“Ainda não conseguimos a nona assinatura. Estamos na realidade em compasso de espera, a vereadora Raíssa ficou de analisar os documentos que estão sob sua posse. Ela está se debruçando sobre o relatório da CGU, os inquéritos da Polícia Federal, o inquérito civil-público da Procuradoria da República. De modo que ainda não se posicionou. Tem nos bastidores, os revelados que ela está propensa a permitir a investigação”, afirmou Bruno Farias.

Raíssa andou em pé de guerra com Cartaxo, e poderia estar usando a possível assinatura de requerimento da CPI da Lagoa como moeda de troca ou para vingar-se. Questionado sobre isso, o líder da oposição descartou essas possibilidades. “Não vejo como vingança, não vejo como troco, como também não vejo a posição da vereadora Raíssa aliada a uma postura da bancada. Creio que seja de natureza individual. Ela, acredito, quer que as investigações sejam ampliadas e acredita que o parlamento pode sim dar sua contribuição”, analisou.

Farias ainda admitiu o contato com outros vereadores da bancada de situação para garantir suporte à CPI da Lagoa. “Conversamos sim com outros vereadores, mas me reservo ao direito de não expor”, disse; acrescentando que citou Raíssa “pois ela própria divulgou que foi procurada por nossa bancada e está analisando os documentos”.

Farias lembra ainda que própria prefeitura instituiu uma comissão de investigação para apurar as irregularidades na obra da Lagoa. “Se a própria prefeitura está investigando, que não tem a função de fiscalizar, porque o poder legislativo, que nasceu para fiscalizar, vai se negar a cumprir uma determinação constitucional que é sua razão de ser”, questionou o vereador.

Blog do Gordinho