João Pessoa 19/08/2018 17:53Hs

Início » Notícias » Quatro grupos disputam a Câmara de João Pessoa

Quatro grupos disputam a Câmara de João Pessoa

A nova legislatura da Câmara Municipal de João Pessoa só começa em março de 2013, mas os atuais vereadores e os novos eleitos já se articulam nos bastidores para disputar a presidência da Mesa Diretora. Faltando cinco meses para a posse – prevista para 15 de março -, quatro grupos já estariam formados para esta nova disputa. O presidente da Casa, Durval Ferreira (PP) está à frente da Mesa Diretora há três mandatos e deve tentar pela quarta vez ser eleito o presidente da Casa. Mas apesar de os outros grupos elogiarem a atuação do parlamentar, defendem que é o momento de renovação da presidência da Casa.
Este é o caso de Raissa Lacerda, que em um grupo formado por ela, os vereadores Santino (PT do B), João Almeida (PMDB), Marmute Cavalcanti (PT do B), Helton Renê (PP) e Felipe Leitão (PP), quer ser a primeira mulher presidente da Câmara Municipal de João Pessoa. Apesar disso, ela afirma que qualquer um dos seis poderá ser o indicado, desde que em consenso.
A vereadora Elisa Virgínia (PSDB) também está articulando com um grupo formado por mais quatro vereadores para que haja esta renovação na Casa. Apesar de se negar a dizer quem são estes parlamentares, a vereadora disse que é um grupo jovem.
“Posso dizer que estamos conversando em quatro ou mais para a gente chegar a um consenso. Temos ideias em comum, mas prefiro não falar nomes, mas afirmo que quero mudanças”, disse. Ela afirmou que não tem o interesse pessoal de presidir a Casa, mas caso haja interesse deste grupo, colocará seu nome à disposição.
“Só colocarei se for interessante até para estas pessoas que estão comigo. Mas não anseio, não tenho o sonho de ser presidente. É somente uma questão de querer mudar, de participar mais. Tem algumas coisas na Casa que eu não concordo e eu pretendo participar para mudar”, afirmou. Eliza Virgínia disse ainda que está satisfeita com a atual presidência e que foi feita uma boa administração.
Para finalizar, Elisa afirmou que se a possibilidade de colocar o nome à disposição para a presidência ainda está incerto, para a Comissão da Educação, ela está certa de que tentará presidir novamente. “Com certeza pretendo sim. Presidi a comissão pela primeira vez, os dois primeiros anos e fiz um trabalho do qual me orgulho. Visitei escolas, denunciamos, melhoramos escolas, cobramos mais, foi fantástico”, disse.
Não confirma – O quarto grupo seria formado pelos vereadores Raoni Mendes (PDT), Ubiratan Pereira, o “Bira” (PSB), e Bruno Farias (PPS). Eles asseguram que ainda é cedo para a discussão acerca da nova Mesa Diretora e dizem que o correto é esperar a chegada dos novos parlamentares para que a discussão ocorra em consenso. Enquanto isso, eles afirmam que continuam focados na eleição municipal da Capital.
“Não existe formação de grupo. Estamos focados na eleição do segundo turno. Esta discussão deve ocorrer pós-eleição. Somos três vereadores bem votados e temos semelhança também na juventude. Nossa intenção é de contribuir com este debate, mas no momento oportuno. Defendo que o escolhido seja um nome de forma consensual”, afirmou o vereador Raoni Mendes.
Segundo ele, o trio ainda não discutiu este assunto e afirmou que não tem o interesse pessoal de presidir a Casa. “Não tenho este interesse particularmente em ser. Quero contribuir com a cidade. A Mesa Diretora é uma discussão que cabe a 27 vereadores e não devemos antecipar esta discussão”, afirmou.
Sobre a questão de renovação da Mesa, Raoni afirmou: “Tenho percepção de que a renovação acontece nas ideias e práticas políticas, independente do presidente. Durval Ferreira pode ser eleito novamente com novas ideias. A renovação não passa por pessoas, mas sim por práticas políticas”, declarou.
O vereador Bira também afirmou que é cedo para discutir este tema. “O processo eleitoral ainda está em curso. Temos um grupo de vereadores recém eleitos que tem que participar desta discussão. Daqui a 10 dias as articulações deverão começar de fato e de direito”, disse. E continuou: “Ocorrer a renovação na Mesa Diretora vai depender do interesse e vontade de todos os parlamentares. Não tenho interesse pessoal de ser o presidente e meu nome não está colocado à disposição não”.Correio da Paraíba