João Pessoa 27/05/2018 05:21Hs

Início » Notícias » Reforma ministerial provoca lavagem de roupa suja na Cultura

Reforma ministerial provoca lavagem de roupa suja na Cultura

Dilma escolhe Juca Ferreira para a Cultura e abre uma crise no PT paulista: Marta Suplicy, a antecessora, dispara contra o novo titular e critica também Alexandre Padilha, derrotado na corrida ao governo de São Paulo

marta suplice 1Anúncio de Juca Ferreira como o próximo ministro da Cultura, feito ontem pela presidente Dilma Rousseff, desencadeou uma crise interna no PT e provocou uma lavagem de roupa suja virtual entre a ex-ministra Marta Suplicy e o candidato derrotado da legenda ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha. Na noite de ontem, poucas horas após o Planalto confirmar o novo titular da pasta, Marta reagiu de maneira contundente. Nas redes sociais, atacou de uma só vez Juca Ferreira e Padilha. “Nada mais sintomático do que Alexandre Padilha, aquele que foi rejeitado pelo povo paulista, nas últimas eleições, para anunciar Juca Ferreira no Ministério da Cultura”, escreveu em sua conta pessoal do Facebook. Pouco antes, Padilha havia comemorado a indicação ao postar que “Dilma marcou um golaço, retumbante, sonoro e espetacular ao anunciar Juca Ferreira”.

Reprodução/Facebook

Marta Suplicy, que comandou o ministério até 11 de novembro deste ano, afirmou que o novo titular prestou um grande desserviço ao país. “A população brasileira não faz ideia dos desmandos que este senhor promoveu à frente da cultura brasileira. O povo da cultura, que tão bem o conhece, saberá dizer o que isto representa”, concluiu ela, que ficou dois anos e dois meses à frente do ministério. Marta não escreveu, mas a senadora se referia ao rombo de R$ 105 milhões na Cinemateca Brasileira, responsável pela guarda de 44 mil títulos, que resultou no corte de 43% de sua equipe e num inquérito administrativo para apurar as irregularidades em curso na Controladoria-Geral da União (CGU).

Leia mais notícias em Política

Logo depois da postagem da senadora, por meio do Twitter, Padilha respondeu. “Aliás, custo acreditar que tal deselegância tenha saído diretamente da companheira @MartaSuplicy_ , que me acompanhou na campanha em 2014”, postou. Em seguida, o petista repudiou ofensas pessoais dirigidas a Marta por defensores de Juca Ferreira. “Também não esperem de mim que faça coro a adjetivos machistas que vi na timeline. Não compactuo com isso para criticar qualquer ato ou divergência. E viva o Juca!”