João Pessoa 23/04/2018 23:15Hs

Início » Notícias » Senador denuncia descaso do Governo do Estado com Rodo-shopping construído na cidade do Cajá

Senador denuncia descaso do Governo do Estado com Rodo-shopping construído na cidade do Cajá

senador-denuncia-descaso-do-governo-do-estado-com-rodo-shopping-construido-na-cidade-do-caja.jpg.280x200_q85_cropEm viagem pela BR 230 trecho que liga João Pessoa a Campina Grande, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), observou o total descaso do governo do Estado com o Centro Comercial Rodo-shopping Paraíba, localizado no quilômetro (km) 85 da BR-230, entre os municípios de Gurinhém e Caldas Brandão, no Agreste paraibano.

O Rodo-shopping, inaugurado no governo José Maranhão, onde foram disponibilizados R$ 6,1 milhões para a realização da obra, está sem funcionar e entregue ao abandono. O senador lamentou o estado em que o equipamento se encontra, com calçamento danificado, fiação elétrica exposta, lâmpadas penduradas e sem condições de funcionamento, além de infiltrações nas paredes e teto do prédio. “Quem passa pela BR230 próximo ao Cajá vê o descaso do atual governo com o RodoShopping inaugurado por José Maranhão em 2010. Já se passaram praticamente três anos e o governador continua desprezando a população destes locais que se beneficiariam com a obra”, comentou o senador.

Vital fez ainda um questionamento ao Governador querendo saber porque ele não colocar em funcionamento o Rodo-shopping o que iria gera emprego e renda a cidade do Cajá. O equipamento conforme lamentou o senador, realmente se transformou em dos problemas mais conhecidos dos moradores do Cajá. Isso porque mesmo já tendo sido inaugurado, está há quase 3 anos sem funcionar. Logo na entrada, o retrato do descaso é percebido no espaço.

Idealizado para gerar emprego e renda para 48 comerciantes, que foram relocados após a duplicação da BR 230 na primeira gestão do governo de José Maranhão, o Rodo-shopping se encontra em situação de abandono com calçamento danificado, fiação elétrica exposta, lâmpadas penduradas e sem condições de funcionar. “É profundamente lamentável que um equipamento projetado para gerar emprego esteja entregue ao abandono”, lamentou.

Assessoria