João Pessoa 18/07/2018 05:14Hs

Início » Paraíba » Agricultor é preso por falso testemunho durante julgamento de AIJE contra prefeito

Agricultor é preso por falso testemunho durante julgamento de AIJE contra prefeito

O juiz considerou que o agricultor Sebastião Basílio Moura teria mentido durante os questionamentos, o que poderia comprometer a lisura da ação

O juiz Antônio Eugênio Leite determinou a prisão em flagrante do homem por falso testemunho durante sua fala na audiência (Foto: Diamante Online)

O julgamento de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) contra o prefeito do município de Itaporanga, no Vale do Piancó, terminou com um homem preso nesta sexta-feira (04). O juiz Antônio Eugênio Leite determinou a prisão em flagrante do homem por falso testemunho durante sua fala na audiência.

O juiz considerou que o agricultor Sebastião Basílio Moura teria mentido durante os questionamentos, o que poderia comprometer a lisura da ação. O agricultor foi uma testemunha arrolada pelos investigantes, que questionam o mandato do prefeito Divaldo Dantas. O homem preso foi conduzido para a 17ª Delegacia Seccional de Polícia Civil.

Além de Sebastião, um jornalista da cidade de Patos, que teria produzido o vídeo, que é o principal elemento que motivou a AIJE, foi conduzido coercitivamente para prestar depoimentos também na Delegacia. De acordo com o Juiz, o produtor do vídeo, tido como declarante no processo, elencou várias situações que se contradisseram com o depoimento do Itaporanguense, o que motivou a prisão.

A defesa do prefeito apresentou durante a audiência um trecho do vídeo da denúncia em que uma pessoa aparece com um bloco de adesivos na parte lateral da imagem. Supostamente a pessoa entrevistada teria recebido um adesivo com a frase “Eu Acredito em Itaporanga” para colocar no peito antes mesmo do início da gravação, o que pode ter induzido o depoimento a favor do candidato.

A AIJE foi impetrada pela Coligação “Início de um novo tempo”, que tinha como candidato a prefeito Djacy Junior (PSDB) contra o então o candidato eleito, Divaldo Dantas da Coligação “Por amor a Itaporanga”.

De acordo com a gerência administrativa do Fórum em Itaporanga, a última prisão pelo crime de falso testemunho teria acontecido há mais de 8 anos.

O advogado de defesa do prefeito Divaldo Dantas, Diogo Mariz, considerou a atitude do juiz como algo importante para o andamento do processo. “Isso é de suma importância para a justiça paraibana, e porque não dizer para o Brasil. É um recado que a justiça dá. Que não serão tolerados depoimentos fraudulentos e isso ficou bastante claro na audiência de hoje. Estamos bastante otimistas. A justiça está de parabéns”, declarou o advogado.

ClickPB