João Pessoa 26/05/2018 06:28Hs

Início » Paraíba » Deputado federal revela estar ‘indefinido’ quanto à eleição em CG e centra fogo na gestão de Romero

Deputado federal revela estar ‘indefinido’ quanto à eleição em CG e centra fogo na gestão de Romero

damião felicianoAliado do governador Ricardo Coutinho (PSB) no campo estadual, o esposo da vice-governadora Lígia Feliciano, o deputado federal Damião Feliciano (PDT) concedeu entrevista exclusiva ao PB Agora nesta segunda, 14, e disse que a legenda está literalmente ‘indefinida’ quanto a sucessão na Rainha da Borborema, em face do lançamento de dois projetos no campo oposicionista na cidade: Adriano Galdino (PSB) e Veneziano Vital (PDT).

Doutor Damião preferiu como de ‘costume’ ficar em cima do muro.

“O PDT não se definiu em Campina Grande, o PDT está analisando, por que Adriano Galdino foi lançado, mas nós vamos ter que estudar, como é que vai se comportar a oposição”, desconversou.

Segundo o ‘Coração’ está faltando sintonia na oposição campinense

“A oposição precisa se reunir, eu acho que precisamos ter uma conversa para que possamos fazer um projeto para Campina, depois escolheremos os atores, Campina precisa de um projeto para que ela possa voltar a crescer, essa é a perspectiva em relação ao PDT”, argumentou o esposo da vice-governadora Lígia Feliciano (PDT).

Feliciano disse que o modo ‘Ricardo’ de governar precisa servir de exemplo

“Se não fizer o estilo de Ricardo administrar também, sendo implentado lá, vamos passar um tempo com a população reclamando a falta do seu crescimento”, alertou, acrescentando que: “Campina Grande tinha 47% do recolhimento do ICMS, hoje chega a 14%, existe uma dicotomia do crescimento e da forma de administrar”, enfatizou.

Por fim, Damião não perdeu a oportunidade de centrar fogo na gestão do tucano Romero Rodrigues

“Não vou dizer que é uma administração sofrível, ele está fazendo o que pode, existem muitos problemas em relação a saúde: As pessoas quando tem um problema de saúde, drena tudo para o Hospital de Trauma do Governo do Estado que atende mais de 220 municípios, gastando R$ 11 mi por mês e num momento oportuno vamos fazer essa discussão”, disparou.

Henrique Lima

PB Agora