João Pessoa 16/08/2018 04:14Hs

Início » Paraíba » Mota não descarta investigar Dilma e Lula na CPI da Petrobras; ‘Não haverá nenhum tipo de imunidade’

Mota não descarta investigar Dilma e Lula na CPI da Petrobras; ‘Não haverá nenhum tipo de imunidade’

hugo mota 1O deputado federal Hugo Mota (PMDB-PB), presidente da CPI da Petrobras, concedeu entrevista ao Jornal Correio Braziliense e falou sobre sua indicação, atuação, rumos da investigação e de como trazer o dinheiro que foi desviado da Estatal de volta ao país.

Mota revelou que não pretende poupar ninguém nas investigações, nem colegas de partido, nem tão pouco, o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff. “Não haverá nenhum tipo de imunidade. A CPI vai investigar todos aqueles que cometeram algum tipo de irregularidade. Esse é o nosso objetivo e nós temos que deixar claro. A CPI pode investigar todos que estiverem lá, quem quer que seja”.

Confira a entrevista completa:

Ao assumir, o senhor recebeu muitas críticas de que seria uma marionete manipulada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, na CPI da Petrobras. Como pretende mudar essa visão?

 

Eu vivo num sistema democrático e tenho que escutar essas críticas. Porém, discordo frontalmente. Fui indicado pelo meu líder, Leonardo Picciani (PMDB-RJ). Não pedi para ser presidente. Isso é fruto do nosso trabalho na Comissão de Fiscalização. É um desafio para mim e acredito eu que tenho de dar essa contribuição. Tenho deixado muito claro que nossa conduta lá é autônoma. Não admito interferência de quem quer que seja no nosso comportamento. Tenho que agir como magistrado, que é ser imparcial.

Pretende ter uma postura dura na investigação contra peemedebistas citados na operação?

 

Minha posição é de magistrado. O deputado Hugo, do PMDB, é um e o presidente da CPI é outro. Isso será, sem dúvida, muito claro na nossa sessão. Até porque é minha reputação que está em jogo.

 

O relator petista Luiz Sérgio (RJ) também recebeu muitas críticas. Acha que ele apresentará um relatório diferente do vexame da CPMI da Petrobras do ano passado?

 

Vai sempre haver o questionamento de que a comissão não irá produzir o resultado esperado. Mas prefiro nutrir o pensamento de que o relatório do deputado Luiz Sérgio será isento e parcial. Se não, ele terá de arcar com as consequências disso. O nosso esforço é para que a comissão funcione, que traga quem tenha de trazer, que aprecie o que precisa ser apreciado. Queremos ter todos os elementos necessários para um relatório que tenha o maior número de fatos e de conclusões diante das denúncias para que o relatório possa mais bem subsidiado, com o pedido de punição de eventuais culpados.


Não acha que, se quisesse investigar, estando no governo há 12 anos, o PT já não teria apurado?

 

É claro que eles teriam investigado dentro dos órgãos de controle do governo. Não estamos aqui para discutir o que não foi feito, mas o que pode ser feito e espero que o futuro seja melhor que o passado.

 

Pretende investigar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ou a presidente Dilma Rousseff?

 

Como vou defender uma apuração isenta se disser que não vou investigá-los? Não haverá nenhum tipo de imunidade. A CPI vai investigar todos aqueles que cometeram algum tipo de irregularidade. Esse é o nosso objetivo e nós temos que deixar claro. A CPI pode investigar todos que estiverem lá, quem quer que seja.

 

Como pretende trazer o dinheiro desviado da Petrobras de volta ao Brasil?

 

Nós temos o compromisso com essa empresa de investigação financeira de fazer uma busca nos paraísos fiscais fora do Brasil para termos a certeza que tudo que foi desviado foi devolvido. A Kroll vai agir em cima das delações, porque há a desconfiança que ainda existe dinheiro escondido no exterior. A intenção da Kroll é buscar as contas e identificar para que possamos entregar o relatório aos órgãos de controle para que seja recuperado. A CPI não tem o poder de recuperar ativos, mas tem o poder de investigar e dizer se há conta fora do país e se os recursos foram devolvidos.

Redação