João Pessoa 16/11/2018

Início » Variedades » Polícia descarta estupro em caso de jogador morto do clube São Paulo

Polícia descarta estupro em caso de jogador morto do clube São Paulo

A Polícia Civil do Paraná descartou a hipótese de que o jogador de futebol Daniel Freitas tenha estuprado uma mulher antes de ser espancado e morto no último dia 27. O principal suspeito do crime, o empresário Edison Brittes, afirmou em depoimento que havia flagrado o atleta tentando estuprar sua mulher, Cristiana Brittes. Nesta quarta-feira, 7, a Justiça decretou a prisão preventiva de outros três suspeitos, que estavam no mesmo carro que o empresário. Brittes já foi detido.

Daniel, de 24 anos, era jogador do São Paulo e estava emprestado ao São Bento, time de Sorocaba que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro. Ele tinha amigos na capital paranaense porque já havia jogado pelo Coritiba. No dia do crime, foi a São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, para participar de uma festa de aniversário da filha do casal Brittes, Allana, de 18 anos. No ano anterior, o jogador já havia ido à comemoração da jovem.

O empresário de 38 anos, que confessou o homicídio, disse ter flagrado Freitas tentando estuprar Cristiana. Ela chegou a dizer, em depoimento à polícia, que acordou com Daniel sobre ela “com pênis ereto para fora da cueca”. Há imagens feitas por celular que mostram Daniel ao lado de Cristiana.

Istoé