João Pessoa 14/08/2018 19:24Hs

Início » Policial » Colombianos são detidos na PB suspeitos de integrar quadrilha de agiotagem e extorsão

Colombianos são detidos na PB suspeitos de integrar quadrilha de agiotagem e extorsão

Com os envolvidos, os policiais civis apreenderam agendas da contabilidade do grupo, além de moedas estrangeiras e dezenas de cartões de créditos

roubo e furtoUm grupo de colombianos foi detido nessa terça-feira (22) na cidade de Campina Grande, Agreste paraibano, suspeito de agiotagem e extorsão. Com os envolvidos, os policiais civis apreenderam agendas da contabilidade do grupo, além de moedas estrangeiras e dezenas de cartões. A Polícia Civil da Paraíba investiga a ação dos suspeitos em vários estados nordestinos.

As investigações começaram há quatro meses após uma denúncia anônima à Delegacia de Defraudações de Campina. Uma pessoa comunicou que o grupo estava agindo em Campina Grande emprestando dinheiro a juros de até 20% sobre o valor e, caso não pagasse, a pessoa seria extorquida. O alvo preferencial dos colombianos era comerciantes da cidade.

Após a denúncia, agentes de investigações da DRF sob o comando do delegado Ramirez São Pedro iniciaram uma ‘caça’ aos agiotas. Placas dos veículos usados pelos suspeitos foram rastreadas e levaram os policiais até uma residência do bairro do Catolé, onde, segundo a Polícia Civil, serviria de ‘Quartel General’ dos colombianos.

Um mandado de busca e apreensão foi expedido pela justiça e cumprido nessa terça. Na casa, os investigadores apreenderam agendas com nomes de dezenas de comerciantes de várias capitais do Nordeste que contraíram empréstimos, mais de 100 cartões, moedas estrangeiras (euro e dólar), veículos e computadores.

Apesar da apreensão do material, o grupo foi ouvido e liberado porque nenhuma vítima prestou queixa. Entretanto, os colombianos vão responder pelos crimes de usura (agiotagem), associação criminosa e extorsão. A Delegacia de Roubos e Furtos vai continuar investigando e acredita que após a divulgação das imagens dos suspeitos possíveis vítimas poderão prestar queixa.