João Pessoa 27/05/2018 15:29Hs

Início » Política » Advogado acredita na condenação de RC na Aije do Empreender: “Agora vai”

Advogado acredita na condenação de RC na Aije do Empreender: “Agora vai”

Para o advogado da coligação “A Vontade do Povo”, Harrison Targino, esse é um bom sinal de que o Tribunal está levando em consideração toda a quantidade de provas e depoimentos, inclusive de promotores eleitorais, para o devido julgamento do caso.

HARRISON-1Após Tribunal Eleitoral da Paraíba (TRE) negar o pedido da defesa de Ricardo Coutinho para anular a tramitação do caso Empreender PB, o advogado da coligação “A Vontade do Povo”, Harrison Targino, afirmou que esse é um  sinal de que a Corte está levando em consideração toda a quantidade de provas e depoimentos, inclusive de promotores eleitorais, para o devido julgamento do caso.

“O corregedor atestou a legalidade das provas já produzidas. O processo é complexo, tem mais  de 40 volumes, depoimentos de 70 promotores eleitorais, beneficiados, valores, tá muito bem embasado. Acho que agora vai”, comentou Harrison Targino, em contato com o Blog do Gordinho.

Ele acredita que o despacho do corregedor eleitoral significa que as provas constantes no autos já comprovam a gravidade dos supostos abusos praticados por Ricardo Coutinho na eleição de 2014 e afirma que a expectativa agora é que as diligências produzidas possam ser realizadas no menor espaço de tempo possível.

Outra questão apresentada pelo advogado e que agora ele espera que não atrapalhe o andamento da ação, foram as inúmeras preliminares da defesa. “Um dado da complexidade desse processo é a quantidade de requerimentos das partes no intuito de inibir o caminhar da ação. Outro ponto que destaco é que no despacho, o corregedor pediu o apoio do Tribunal de Contas do Estado e do Tribunal de Contas da União para realização de perícias”, comentou Harrison.

A ação do Empreender foi interposta pelo Ministério Público Eleitoral e acusa o governador Ricardo Coutinho de utilizar de forma eleitoreira o programa de financiamento, tornando a disputa desigual.