João Pessoa 21/04/2018 10:00Hs

Início » Política » CMJP outorga honrarias ao ex-senador Pedro Simon

CMJP outorga honrarias ao ex-senador Pedro Simon

O vereador Fernando Milanez (PMDB) justificou que propôs as honrarias em reconhecimento a postura ilibada do homenageado durante sua trajetória de vida, principalmente na esfera pública

simonA Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) concedeu, na tarde desta terça-feira (3), o Título de Cidadão Pessoense e a Medalha Cidade de João Pessoa ao ex-senador Pedro Jorge Simon. As honrarias e a sessão solene foram propostas pelo vereador Fernando Milanez (PMDB), que justifica a homenagem alegando que o ex-senador é um dos grandes representantes da luta contra a corrupção no Brasil.

Compuseram a mesa, além do homenageado, o presidente da CMJP, vereador Durval Ferreira (PP); o primeiro secretário da CMJP, vereador Benilton Lucena (PT); o secretário chefe de Governo, Efraim Morais, representando o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB); e Elan Ferreira de Miranda, representando o prefeito da Capital, Luciano Cartaxo (PSD); o deputado estadual Emano Santos (PTN), representando a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB); o arcebispo emérito da Paraíba, Dom Aldo Pagotto; o presidente do Tribunal de Ética e Disciplina das Ordem dos Advogados do Brasil na Paraíba (OAB-PB), Francisco de Assis Camelo.

Ainda participaram da solenidade familiares e colaboradores do homenageado; os vereadores Raoni Mendes (PTB), Bruno Farias (PPS) e João dos Santos (PP); além de outras autoridades políticas e civis da Capital paraibana.

“Resolvemos reconhecer o trabalho de um homem que entrou e saiu pela porta da frente das funções públicas que exerceu. Esse mais novo cidadão pessoense trava uma luta constante contra a corrupção em nosso país e é uma das únicas reservas morais desse nosso Brasil. Ele serve como um grande exemplo para todos os parlamentares. Poderia ter entregue essas homenagens hoje de manhã, lá na instituição onde Pedro Simon fazia uma palestra, mas ele preferiu receber as honrarias na Casa do Povo de João Pessoa. Tendo sido vereador ele reconhecer o grande valor que esse parlamento tem para o desenvolvimento das cidades, dos estados e do país”, justificou Fernando Milanez.

O presidente Durval Ferreira exaltou o trabalho parlamentar do homenageado destacando sua atuação como relator da Lei nº 8.429, de 2 de junho de 1992, que dispõe sobre o enriquecimento ilícito; e as autorias dos seguintes requerimentos: de criação da comissão especial destinada a analisar a programação de rádio e TV do país em 1994, da qual foi relator; de constituição da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a apurar as denúncias sobre agentes corruptores (CPI dos corruptores); além de compor a comissão mista destinada a avaliar o programa nacional de desestatização em 1994.

Já o vereador Bruno Farias falou que ficou diversas madrugadas assistindo as reprises das sessões ordinárias do Senado, para ver e ouvir o homenageado discursar na tribuna. “Sempre esperei para ouvir sua mensagem de esperança de um Brasil novo, onde a ética e a decência são os vetores mais importantes. Esse gaúcho não pertence apenas ao Rio Grande do Sul mas a todo o Brasil. Felicitações e um abraço de um fã e grande admirador”, completou Bruno. Assis Camelo disse que a homenagem fica nos anais da Casa porque destaca o valor de Pedro Simon para todas as Casas Legislativas do país. “O senhor é um homem que vem iluminando o país com sua ética e honradez”, afirmou Assis Camelo. Dom Aldo Pagotto e Efraim Filho também usaram a tribuna para exaltar a luta do homenageado contra a corrupção e destacaram sua honradez e seu “espírito elevado”.

O homenageado

Pedro Simon disse que sentia-se honrado em falar da tribuna da CMJP, agradeceu a homenagem e fez um discurso lembrando da participação do então governador da Paraíba, João Pessoa, na Revolução de Trinta. Na ocasião, o político paraibano uniu-se a Getúlio Vargas contra a política do “Café com Leite” que imperava no Brasil.

O homenageado também fez uma palestra sobre a atual conjuntura política do país, destacando “O Mensalão”, esquema de compra de apoio dos parlamentares no governo do ex-presidente Lula, para as instituições e para a sociedade brasileira; e o “Petrolão”, esquema de corrupção e desvio de fundos que ocorreu na Petrobras, a maior empresa estatal brasileira. De acordo com ele, embora tenhamos vivido um momento único no Brasil, no qual os culpados do “Mensalão” foram punidos, atualmente, estão dificultando as investigações em torno do “Petrolão”. “Estamos indo por caminhos imprevisíveis porque vivemos um dos momentos mais sérios de nosso país. Vamos nos preparar para irmos as ruas fortalecer a nossa democracia e nos fazer ouvir”, conclamou o homenageado.

O Coral Antônio Leite, da CMJP, sob a batuta da maestrina Socorro Estrela emoldurou a solenidade com a execução do Hino Nacional e do Hino Oficial de João Pessoa. A Banda de Música Cinco de Agosto, sob a regência do maestro Adélson Machado, recepcionou os convidados.

Breve histórico

Pedro Jorge Simon nasceu em Caxias do Sul (RS), em 31 de janeiro de 1930. Estudou Direito na Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre (PUC-RS) e entrou para a vida pública em 1958, como vereador em Caxias do Sul pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Foi eleito deputado estadual pela primeira vez em 1962 e reeleito para o cargo três vezes consecutivas. Chegou ao Senado Federal em 1979, pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Participou do movimento pelas “Diretas Já” em 1984 e da Aliança Democrática que lançou a candidatura de Tancredo Neves à Presidência da República. Foi ministro da Agricultura no governo Sarney, em 1985, e governador do Rio Grande do Sul de 1986 a 1990.