João Pessoa 26/04/2018 01:52Hs

Início » Política » É hora de união para socorrer os castigados pela falta de água, convoca Cássio

É hora de união para socorrer os castigados pela falta de água, convoca Cássio

cassio castigados da secaO Senado realizará sessão temática no próximo dia 03 de dezembro, às 10h, para discutir a crise de escassez de água no Brasil. O anúncio foi feito pelo líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), em discurso no plenário, nesta quinta-feira (19).

“Queremos ter este plenário ocupado pelos senadores do Brasil e, se possível, a presença unânime dos senadores do Nordeste, porque não será apenas um debate de um tema, mas será, tenho certeza, uma oportunidade para determinar um plano de ação emergencial e urgente. A situação é muito, muito, grave. Eu tenho já bastante tempo de vida pública, comecei cedo e tenho 52 anos de idade. Tenho as referências históricas dos grandes ciclos secos na região Nordeste, mas nada se assemelha ao momento que estamos vivendo. Esta convocação, que estou fazendo a toda a sociedade, é um movimento suprapartidário. Não há disputa política, porque temos que nos unir. Nós temos que chamar a todos para que possamos nos debruçar sobre esse tema e garantir naturalmente uma solução emergencial para essa grave situação”, afirmou.

Ações concretas

Para Cássio, a sessão temática não pode ficar apenas no debate teórico. De acordo com ele é preciso definir ações concretas.

“Nós temos que ter ações práticas para que elas sejam efetivas ao socorrer essas populações, que estão duramente ameaçadas por esse colapso do abastecimento. Eu falo, por exemplo, em nome da cidade de Campina Grande onde nasci e fui prefeito por três vezes. Há um temor, quase que um pânico generalizado, porque se percebe uma omissão do governo estadual, como se o governador Ricardo Coutinho não tivesse nada a ver com o problema. É claro que ele, como governador, tem responsabilidades.

No passado fiz adutoras para Campina Grande. Ronaldo Cunha Lima, meu pai, também fez uma adutora importante para Campina Grande. Contávamos com a transposição para manter Boqueirão sempre cheio. Acontece que Boqueirão não vai receber água da transposição nesses próximos anos, porque a obra atrasou. Esse era o plano A. Todo o planejamento foi feito com Boqueirão, com Acauã, para receber as águas da transposição. Construímos as adutoras para a distribuição dessa água, mas infelizmente aquele que era o plano A com a transposição, que não vingou. É preciso fazer alguma coisa”, afirmou.

Acúmulo de água no NE

Cássio citou dados atualizados sobre o acúmulo de água no Nordeste e disse que o cenário é extremamente preocupante. Segundo ele, a situação regional é de apenas 6% da capacidade.

“Chama atenção a situação de Sobradinho com pouco mais de 2% e, nos próximos dez dias, se não tivermos precipitação, o lago de Sobradinho vai secar. A bacia do São Francisco e Três Marias também apresentam problemas. Itaparica está com menos de 10%. No Ceará, o Castanhão tem apenas 13% da sua capacidade. Orós tem uma situação um pouco melhor, com 35%; Armando Ribeiro Gonçalves, no Rio Grande do Norte, com 22%. E a situação da Paraíba é extremamente grave, porque temos, no sistema Curema-Mãe D’Água, menos de 15%. Boqueirão, Epitácio Pessoa, que abastece Itatuba, 14%. Lagoa do Arroz, também em Cajazeiras, com 6%. O Açude do Congo, que é o Cordeiro, secou. Camalaú está com 15% e, São Gonçalo, em Sousa, com 3%. É preciso tomarmos uma atitude emergencial”, alertou Cássio.

Participantes

Para discutir o tema, foram convidados a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi; o diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo; o diretor geral do Departamento Nacional de Obras conta as Secas (DNOCS); o superintendente da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene); o presidente da Companhia de Desenvolvimentos dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) ; o diretor do Instituto Nacional do Semiárido (Insa); o representante do Comando de Operações Terrestres do Exército Brasileiro (Coter), responsável pela operação carro-pipa, que distribui água potável por meio de carro-pipa para a população situada nas regiões afetadas pela seca ou estiagem, especialmente no Semiárido nordestino e norte de Minas Gerais.

O líder do PSDB anunciou, ainda, que governadores e prefeitos também serão convidados a participar dessa sessão temática. Cássio conta com a presença unânime dos senadores nordestinos. Desse encontro, sairá um plano emergencial de sobrevivência, porque, conforme disse Cássio Cunha Lima, parodiando José Américo de Almeida, “meio-dia já é tarde para quem tem sede”.

Assessoria