O ex-secretário João Azevedo (PSB), pré-candidato ao governador do estado, concedeu sua primeira entrevista após deixar o Governo, ao programa Café Com Notícia, da TV Master. Ele defendeu o ex-presidente Lula que acredita foi condenado sem provas, disse não ter medo das próximas pesquisas e prometeu que se nada for feito em relação a Barreira do Cabo Branco, se chegar ao Governo do Estado, em 2019, essa será uma de suas prioridades.

João Azevedo não se esquivou de comentar a prisão do ex-presidente Lula que deve acontecer hoje após determinação do juiz Sérgio Moro, e disse que o petista foi condenado sem provas. Ele acredita ainda que a prisão de Lula é o último ato de algo que começou lá atrás que tinha o objetivo de tirar o ex-presidente da disputa de 2018.

Sobre as críticas dos adversários de que ele primeiro não deixaria o governo para ser pré-candidato, depois que seu nome não era conhecido e por último que ele não decola nas pesquisas, o socialista afirmou que todas foram ficando pelo caminho. Ele disse, inclusive, que não teme as próximas pesquisa que virão. “Se for pesquisa séria, quando sair tem gente que vai ficar muito mais preocupada com a gente do que já tá”.

O ex-secretário falou ainda dos anos que atuou como secretário de vários governos municipais até ao governo do Estado, e se orgulhou de nunca ter tido uma conta reprovada ou uma denúncia envolvendo seu nome. “Honestidade é obrigação do gestor publico”, disse ele completando que nunca deu brechas para que alguma proposta não republicana lhe fosse apresentada. “Eu não almoço, não janto com empresário. Se quisesse falar comigo fosse na secretaria”, destacou.

Sobre as prioridades do seu governo, em caso de vitória, ele revelou que a segurança hídrica dos 223 municípios do Estado, é a prioridade máxima, mas acabou revelando que se nada for feito com relação a Barreira do Cabo Branco, o governo do Estado, sob seu comando, “vai entrar”.

ParaíbaJá