João Pessoa 20/06/2018 21:03Hs

Início » Política » José Maranhão não vê polarização entre as pré-candidaturas de Luciano Cartaxo e João Azevedo

José Maranhão não vê polarização entre as pré-candidaturas de Luciano Cartaxo e João Azevedo

jose-maranhao polarizaçãoDurante a entrevista concedida simultaneamente nesta sexta-feira (12) nas programações de rádio e televisão do Sistema Arapuan, o senador José Maranhão (PMDB) disse não acreditar em polarização entre as possíveis candidaturas de Luciano Cartaxo (PSD) e João Azevedo (PSB) na campanha deste ano. “Isso aconteceu em 2012, quando tivemos as candidaturas apoiadas pelo governador Ricardo Coutinho e do então prefeito Luciano Agra”, comentou.

“Eles vinham com essa polarização em discussão durante a escolha da candidatura do PSB e daí acabou se transferindo para a disputa das eleições, onde se confrontaram mesmo com ambos fora do embate eleitoral”, avaliou o senador e presidente estadual do PMDB.

Quando instado a fazer uma comparação das disputas em João Pessoa e Campina Grande, os dois principais colégios eleitorais do Estado, Maranhão classificou de diferente. “João Pessoa não é um distrito de Campina Grande, nem Campina Grande é distrito de João Pessoa. Portanto, entendo que não se pode impor aos políticos de João Pessoa uma solução que agrade aos políticos de Campina Grande e vice-versa”, contou.

O assunto surgiu por causa da parceria entre PMDB e PSB, cujos partidos estão na iminência de se separarem tanto em João Pessoa quanto em Campina Grande. Ele não comentou o assunto, apenas reiterou que as pré-candidaturas nos municípios acima de 200 mil habitantes “é uma recomendação do seu partido em nível nacional”.

Sobre a postura do governador Ricardo Coutinho nesta discussão sobre as eleições nos dois principais centros do Estado, em especial em João Pessoa, Maranhão declarou: “Ele (Ricardo) é governador e tem todo o direito de recomendar candidatura própria do partido dele, sendo que aqui na Capital existem outros pré-candidatos, inclusive do PMDB. Então, paciência, amigo!”.

Marcone Ferreira