João Pessoa 21/08/2018 00:24Hs

Início » Política » Luiz Couto admite concorrer ao Senado em 2018, se PT quiser

Luiz Couto admite concorrer ao Senado em 2018, se PT quiser

LUIS COUTO SENADORO deputado federal Luiz Couto (PT-PB) concedeu na noite de terça-feira, 17, uma entrevista ao programa Master News, apresentado por Gutemberg Cardoso e Marcos Wéric, na TV Master, na qual foi perguntado sobre vários temas, dentre os quais seu futuro político e admitiu concorrer a uma vaga ao Senado Federal em 2018, além de ter reforçado o que havia dito antes, de que consideraria concluída sua missão na Câmara dos Deputados ao fim do mandato que exerce atualmente.
“Sabemos que a campanha majoritária implica em estrutura para poder andar todo o Estado. Eu sempre tenho tido o seguinte: se o partido der as condições efetivas para que nós possamos fazer uma bela campanha, colocando as propostas que temos para a Paraíba, posso colocar meu nome à disposição para o Senado Federal. Acho que já cumpri minha tarefa como deputado federal por quatro mandatos e o PT tem uma posição de que um parlamentar federal não deve ultrapassar esse limite, a não ser que o partido decida assim. Eu já fui deputado estadual duas vezes e federal por quatro”, disse Couto.
Ele também foi questionado a respeito da possibilidade de cassação do mandato do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cujo julgamento tem sido adiado na Câmara e revelou comentários de bastidores na capital do poder segundo os quais o ex-presidente da Casa teria em seu poder recibos de contribuições generosas feitas a campanhas de muitos parlamentares. “Dizem que ele pedia o recebo alegando que era para seu próprio controle. Mas, muita gente acha que ele guardou esses comprovantes e tem medo disso vir à tona”, disse Couto.
Outro questionamento feito pelos apresentadores ao deputado foi se ele não se sente desestimulado com o nível da política dos dias atuais, repletos de escândalos: “Machado de Assis dizia que se a política não for uma vocação, ela passa a ser especulação. Tenho três fundamentos na minha vida que me fortalecem: meu contato permanente com os segmentos mais excluídos da sociedade, onde as pessoas são mais solidárias. Depois, me alimento da espiritualidade. A eucaristia, a missa, renovam minha energia. E em terceiro, a palavra de Deus me dá muita força”, confessou o deputado paraibano.
ParlamentoPB