João Pessoa 23/05/2018 10:41Hs

Início » Política » Paraibanos divergem sobre Previdência; Aguinaldo quer urgência e Couto diz que reforma é ‘farsa’

Paraibanos divergem sobre Previdência; Aguinaldo quer urgência e Couto diz que reforma é ‘farsa’

Durante discurso na reunião de líderes empresariais para falar sobre a reforma da Previdência, que contou com a participação do presidente Michel Temer (PMDB), o líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP), ressaltou a importância para o país da votação da reforma da Previdência.

Aguinaldo fez questão de destacar que a Previdência nada mais é do que o ato de se tentar prever o futuro para evitar eventos indesejáveis aos indivíduos.

Por outro lado, convicto contra a Reforma da Previdência, o deputado federal Luiz Couto (PT-PB) publicou em seu perfil no Facebook um vídeo no qual classifica a PEC elaborada pelo presidente Michel Temer (PMDB) como uma farsa. O petista reafirmou seu voto contra o texto e também reforçou sua solidariedade a um grupo de manifestantes, do Movimento de Agricultura Popular (MAP) que faz greve de fome há oito dias na Câmara Federal numa tentativa de sensibilizar os parlamentares para reprovarem a proposta.

Aguinaldo lamentou as tentativas de deturpar o real sentido da reforma e declarou que não há mais tempo para se perder, já que para garantir o futuro dos brasileiros é necessário ter coragem para dar passos importantes no presente.

“O Brasil já perdeu muito tempo, inclusive quando tivemos a oportunidade de no ciclo econômico que o mundo viveu e que esse país tinha chance de crescer muito nós crescemos abaixo da media da América Latina.Temos vivido dias em que é preciso termos equilíbrio e responsabilidade e esse é o momento de nós como brasileiros enfrentarmos esse tema, não da forma, pode parecer forte, mentirosa como estão propagando pelo Brasil afora” declarou.

Couto salientou que o PT está unido contra a Reforma da Previdência e acrescentou que a intenção de Temer é apresentar aos brasileiros mais pobres a conta pelas benesses oferecidas a multinacionais e banqueiros.

“Essa reforma é uma deformação da nossa Previdência. Podem contar, companheiros, com nossa solidariedade. Desde o início, fui contrário à PEC e também à emenda aglutinativa. Nosso partido está em obstrução para não votar essa farsa, através da qual o governo federal que colocar nos ombros dos trabalhadores do campo e da cidade a conta do rombo que ele faz entregando nossos recursos para as multinacionais, os banqueiros e empresários. Temos que ocupar todos os espaços para que possamos dar um basta a este governo que entrega nossos recursos para quem já tem demais e tira dos trabalhadores. Parabéns aos companheiros em greve de fome por oito dias! Vamos lutar até o fim para derrotar essa PEC!!!”, disse Couto.

Aguinaldo revelou ainda dados alarmantes com relação ao peso que a previdência é para o país.

“Nos últimos quinze anos nesse país no regime público se gastou mais de um trilhão e duzentos e noventa bilhões da previdência pública para atender cerca de 1 milhão de beneficiados e nesse mesmo período foram gastos em Saúde, um trilhão e duzentos e cinquenta bilhões para atender 200 milhões de brasileiros. Esse é apenas um comparativo. Essa é a verdade que deve ser propalada pelo país, as pessoas estão sem ter a noção disso” pontuou.

Por fim o líder disse que o apelo que está sendo feito é sobre a responsabilidade com o Brasil como um todo para se ter de volta a verdadeira justiça social e garantir qualidade de vida para a população.

“O apelo que aqui nós temos feito a cada parlamentar e cada cidadão brasileiro é o de responsabilidade com o país, não há mais tempo a perder, na economia nós já estamos crescendo no rumo certo e é preciso agora se dar seguimento a isso e o mais correto é aprovar a Previdência, gerar emprego, celebrar esses números e ter de volta a justiça social de verdade com qualidade de vida” concluiu.

Em pronunciamento na Câmara, o petista ainda registrou que o povo já percebeu em que armadilha caiu desde o processo que levou ao impeachment da Presidente Dilma Rousseff. “Recentemente, recebi um abaixo-assinado em defesa dos direitos previdenciários de agricultores familiares do Município de Lagoa Seca,que fica na Região Metropolitana de Campina Grande. Esse abaixo-assinado não só representa a sociedade de Lagoa Seca, ele representa o Brasil, em número, grau e gênero. Há sim uma grande preocupação com os retrocessos e a perda dos direitos previdenciários dos trabalhadores e trabalhadoras rurais. Mas não é só os trabalhadores rurais, e sim todos os setores de nossa Nação.

Por isso, quero registrar com firmeza, neste plenário, e aplaudir de pé a atitude dos trabalhadores e trabalhadoras de Lagoa Seca, bem como todos que com eles comungam do mesmo pensamento. Temer e seus aliados perderam a confiança do povo. Já diz nossa Carta Magna que o poder emana do povo, e sem o povo não há porque razão governar um país”, enfatizou o deputado paraibano.

Redação com assessorias