João Pessoa 18/06/2018 11:28Hs

Início » Política » Raoni diz que oposição quer investigar destino de quase R$ 10 mi desviados de obra da Lagoa

Raoni diz que oposição quer investigar destino de quase R$ 10 mi desviados de obra da Lagoa

raoni 10 milhõesNão é quarta-feira de fogo, mas os ânimos prometem esquentar hoje, na Câmara Municipal de João Pessoa, um dia depois de ser protocolado um pedido de CPI para investigar a obra de revitalização da Lagoa. Segundo o vereador Raoni Mendes (PTB), líder da bancada que faz oposição na Casa, a Comissão Parlamentar de Inquérito quer tentar desvendar o paradeiro de quase R$ 10 milhões que, segundo relatório da Controladoria Geral da União, foram desviados da obra.

O parlamentar explicou que, mesmo sendo um ano eleitoral, a medida não é política, já que, desde o ano passado os vereadores da bancada de oposição tentaram convocar o secretário de planejamento e os responsáveis pela obra para prestar esclarecimentos no legislativo, mas a bancada que dá sustentação ao Governo Cartaxo sempre evitava a aprovação dos requerimentos.

“O que teme a prefeitura para tentar evitar essas investigações, para tentar evitar a convocação de secretários. O que teme a prefeitura para tentar politizar a CPI. A obra foi orçada em R$ 41 mi e o desvio é de quase R$ 10 mi. Queremos saber se esses recursos foram para o bolso da corrupção ou foi materialmente desviado por falta de planejamento, se foi má execução e o papel do legislativo é fiscalizar. Aqui não é caça as bruxas, mas nós precisamos de uma explicação para saber o que aconteceu, precisamos ir a fundo nisso, porque o dinheiro é público. Não sou eu, a população também não admite que se desvie dinheiro”, disse.

Conforme Raoni, o fato determinante para a instalação da Comissão foi mesmo o relatório da CGU, que é totalmente técnico e foi quem atentou para as supostas irregularidades. “O relatório não é político, o relatório é técnico, querer politizar é querer colocar a CGU no grau dos investigados pela Lava Jato, dessas pessoas que fizeram mal ao país”, disse.

IRREGULARIDADES

Raoni explica ainda que, de acordo com o relatório da CGU, a retirada de 200 mil toneladas de lixo da Lagoa, executada pela empresa no período estipulado teria sido impraticável, já que representa a mesma quantidade do lixo produzido em um único dia em todo o país.

Tanto é que ele, juntamente com os vereadores da bancada de oposição, Renato Martins e Zezinho do Botafogo (PSB) foram tirar a prova dos nove no aterro sanitário metropolitano, localizado em Mumbaba, na Capital, e fizeram imagens para contestar a versão da gestão municipal.

No vídeo, Raoni afirma que está convencido de que não foram descarregadas 200 mil toneladas de “lixo” no aterro, como é divulgado pela Prefeitura de João Pessoa.

“Eles não aceitam a CPI porque querem proteger o governo, ao invés da população. Os vereadores da base precisam entender que representam a vontade do povo”, ressaltou.  

Márcia Dias

PB Agora